segunda-feira, 20 de maio de 2013

AFINIDADE E AMIZADE




Grão Mestre Barbosa Nunes - GOB/GO

Vivemos em um mundo de incerteza, atmosfera de desconfiança, em que as pessoas se relacionam sempre com dificuldades de confiar entre si, enfraquecendo possibilidades de novas e boas amizades. No campo comercial então, é rotina você adquirir um produto e ser enganado ao recebê-lo com qualidade inferior, menor peso e quantidade. Nos contratos de compra e venda ou de outros compromissos, sempre extensos, há artigos e cláusulas em letrinhas minúsculas, para os quais você não se atentou.

Estou falando das relações comerciais, mas isto também ocorre, rotineiramente, nas relações pessoais, de parentesco e de pessoas que se diziam amigas ou pensavamos serem amigas. Há uma frase muito conhecida: “Amigos de verdade eu conto nos dedos de uma mão só”. Na atividade política partidária então, nem é bom falar. Não há amigos. Os interesses momentâneos se sobrepõem e os políticos muito bem se adaptam, ora elogiando e logo a seguir desqualificando aqueles que eram portadores de qualidades positivas.

Lembro de uma frase de Ulisses Guimarães, inflamado orador, político corajoso e combativo, mas que também não foi suficientemente autêntico para sair desta situação que a política impõe. Certa vez afirmou, referindo-se à sua esposa, conhecida por Mora: “Não posso dizer para Mora o que muitos políticos dizem de mim, pois senão ela vai me ver abraçado nos palanques com eles, na semana seguinte. O que ela vai dizer para mim?”.

Não abordo este tema com pessimismo, pelo contrário, com muito otimismo, mesmo estando ciente que a vivência neste mundo material, em todos os setores, como estamos vendo todos os dias é de conflitos entre políticos, religiosos, governantes, famílias e entre aqueles que se diziam amigos de verdade, em luta gananciosa.

Leio o livro de Gary Zukav, Editora Lafonte, “O Poder da Afinidade – Aprenda a criar um círculo altamente positivo em torno de você”, que sugiro aos amigos e amigas, e encontro as “chaves para aqueles que desejam fazer de suas relações interpessoais verdadeiras oportunidades para o desenvolvimento espiritual. Mostra como modificar as partes negativas em nossa personalidade e expandir as positivas para estabelecer conexões realmente profundas e enriquecedoras nos relacionamentos. Isso não acontece de modo automático, mas é fruto de uma decisão. E reage em efeito dominó. Depois que disparar a primeira peça, um encadeamento de laços e afinidades irá conduzir você a um novo patamar de relacionamento e felicidade”.

Então, o foco deste artigo é afinidade e amizade. Em relação à primeira, afirmo que as comunicações acontecem com facilidade maior entre as pessoas que tem afinidades entre si, sentimento que é fundamental, base para amizade, não estas que desaparecem e não resistem ao caminhar do tempo. Sem afinidade não se forma uma boa amizade.

A afinidade é parceria entre iguais e exige crescimento espiritual, estes mais interessados uns nos outros do que em objetivos imediatos, comuns, muitas vezes para enganar e ludibriar, o que ocorre nas campanhas eleitorais, com os candidatos falseando, oferecendo soluções impossíveis de serem atingidas. Por isto, é muito difícil uma amizade do eleitor com o seu candidato, que não seja de interesse e de lucro para ambas as partes. As religiões oferecem pelo rádio, televisão, jornal e até serviço de som pelas ruas, milagres e mais milagres, com cura imediata e sucesso financeiro rápido, para aqueles que aderirem às suas pregações e contribuírem para que a “graça” ocorra. Cessando este interesse, desaparece como fumaça uma “amizade”.
No seu interior, há dragões ativos fazendo escolhas se você não se vigiar. O dragão cresce, a ambição se agiganta e ele passa por cima de tudo e de todos para atingir o seu objetivo. Um dia ele encontra resistência do bem e da moral, diluindo-se humilhantemente perante sua família, seu círculo social e daqueles que se diziam “amigos”. Estes se afastam e para não serem pegos se escondem, deixando muitos a pagarem pelos seus pecados, isto é, “cristos” que vão sofrer por muitos outros.

A afinidade é a argamassa da amizade, não importando o tempo, a ausência, pois quando voltar o encontro, o diálogo, o carinho, serão retomados. Mesmo sem se conhecerem, a afinidade pode existir entre pessoas. A afinidade é discreta e só seres humanos sensíveis conseguem desenvolvê-la. Como disse Marcial Salaverry: “Na verdade mesmo em casos de separação ela pode sobreviver. Mantêm-se imutável, pois contrariamente ao amor, parece que a ausência física desenvolve ainda mais o sentimento. Uma coisa é certa, para que a afinidade sobreviva, é imprescindível que haja entre os componentes da parceria, uma comunhão absoluta de idéias e ideais”.

Como o mundo seria, se a amizade sincera prevalecesse. Seria o paraíso. Envio a você, com sentimento de também estar sempre reforçando as minhas amizades, este texto emocionante, que penetra em nosso coração e que nos faz abrir o nosso interior, autoria de Marilyn Monroe.

“Algumas vezes na vida, você encontra uma amiga especial. Alguém que muda sua vida simplesmente por estar nela. Alguém que te faz rir até você não poder mais parar. Alguém que faz você acreditar que realmente tem algo bom no mundo. Alguém que te convence que lá tem uma porta destrancada só esperando você abri-la. Isso é uma amizade pra sempre. Quando você está pra baixo e o mundo parece escuro e vazio, sua amiga pra sempre te põe pra cima e faz com que o mundo escuro e vazio fique bem claro. Sua amiga pra sempre te ajuda nas horas difíceis, tristes e confusas. Se você se virar e começar a caminhar, sua amiga pra sempre te segue. Se você perder seu caminho, ela te guia e te põe no caminho certo. Sua amiga pra sempre segura sua mão e diz que vai ficar tudo bem. Sua amiga é pra sempre, e pra sempre não tem fim”.

Guardemos os nossos amigos verdadeiros para sempre.
Publicado no Jornal Diário da Manhã, edição de 18 de maio de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário