sábado, 11 de maio de 2013

Preso estelionatário que aplicou golpe da "maçonaria" em procurador

De: Diário de Cuiabá
DILSON ROSA
Da Redação

O vendedor Joacy Soares Atagiba, de 63 anos, foi preso por policiais militares acusado de estelionato. Ele se passava por membro da Maçonaria e, com uma falsa ficha de cadastro, dizia para as vítimas que seria para ingressar na entidade. Para tanto cobrava entre R$ 200 e R$ 400 e ainda pegava fotocópias de documentos pessoais. A Maçonaria informou que o ingresso na entidade acontece através de convite de um dos membros.

A detenção ocorreu ontem de manhã, na Câmara Municipal de Cuiabá, no gabinete do vereador Luiz Poção. O vereador desconfiou que se tratava de golpe e acionou a PM. Ao ver os policiais, Joacy caiu em contradição. Com ele, os policiais encontraram cinco fichas preenchidas e colocados numa prancheta. Elas seriam o chamarisco para dar crédito ao trabalho dele e a vítima não desconfiar.

Uma das fichas apreendidas está assinada em nome do Procurador do Estado Alexandre César, incluindo uma foto 3x4 e a assinatura dele. Policiais se deslocaram até a casa de Joacy, mas não localizaram novas fichas.

Por telefone, o procurador Alexandre César confirmou que foi vítima do estelionatário. Conforme o procurador, ele foi procurado por Joacy Soares há três anos.

“Ele me falava em nome de uma loja (maçônica), a qual meu pai freqüentou. Citou alguns nomes de maçons e disse que foi destacado para iniciar o processo para a minha inclusão”, comentou o procurador. O pai de Alexandre César, que também era maçon, morreu há mais de 20 anos.

Joacy pediu ao procurador R$ 80. “Ele disse que seria uma taxa simbólica para o andamento do processo”, disse Alexandre, que nunca mais foi procurado pelo golpista. O procurador, que tentou localizar Joacy diversas vezes, acredita que o estelionatário usava seu nome e sua ficha para atrair novas vítimas.

A Polícia Militar ainda não conhece o número de vítimas de Joacy. “É possível que essas pessoas (que caíram no golpe) nem tenham registrado queixa para não chamar a atenção”, disse major Alessandro. Os policiais não sabem se essas pessoas chegaram a procurar a Moçonaria ou ainda estão esperando a entrega da carteira. A entidade informou que não há expedição de carteira.

Joacy estava com uma carteirinha de membro da Maçonaria de Mato Grosso do Sul. Policiais militares entraram em contato com a entidade e foram informados de que o vendedor tinha sido desligado, mas não revelaram o motivo. Um integrante da Maçonaria de Cuiabá informou que a entidade, em alguns casos, prevê a expulsão.

Fonte: http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=212057

Um comentário:

  1. Vergonha! Vergonha! Vergonha! Que gente desqualificada, como esse criminoso de 5ª, deve ser punida como severidade... Um total ignorante , que fala contra a Augusta Ordem, está errada, mas é ignorante... Quando alguém, como parece ser o caso desse meliante, conhece mais sobre a filosofia Maçônica (qualquer Prof.'. pode ter acesso aos princípios morais da Ordem) e a profana, acredito que a culpa deste se multiplica, a punição deve ser mais severa... É por causa de gente sem caráter como vimos nessa matéria, que a Augusta Ordem é tão criteriosa em suas Admissões!
    Mas, de uma coisa eu tenho total certeza: ninguém jamais conseguirá profanar os Augustos Ensinamentos da Sagrada Ordem Maçônica. Só quem já se abaixou para passar pelo Pórtico, com o coração aberto, só quem Honra o seu Padrinho e seu Avental, pode entender essa minha certeza interior.
    Fraterno Abraço à todos,
    Fabio Lafaiete.'.

    ResponderExcluir