segunda-feira, 8 de julho de 2013

O rabo do cachorro: cuidado com os bajuladores

“Muove la coda il cane, non per te ma per il pane”

 Este ditado popular italiano quer dizer: “Abana o rabo, o cão, não por ti, mas pelo pão”. Esse ditado existe também em Portugal, na Inglaterra e em outros países, em dezenas de idiomas.

 Veja a verdade contida neste ditado. Ele nos quer dizer: Cuidado com os bajuladores! Cuidado com os “puxa-sacos” de plantão, como se diz popularmente.

 Quando você está numa posição com algum poder ou destaque, por menor que seja, com certeza será alvo dos bajuladores. Basta ser “diretor social” de um pequeno clube para ser assediado por aqueles que querem uma “mesa de pista” no baile. Basta você ser amigo de alguém importante, para ter “amigos” de quem nunca esperava “amizade” alguma.

 Se você é empresário, diretor ou gerente de uma empresa tem que tomar muito cuidado com aqueles que, unicamente por interesse, podem fingir uma “amizade”, carinho, consideração, que, de fato, não existem.
 São fornecedores, clientes, funcionários, jornalistas, que estão exclusivamente interessados em seu poder, posição ou mesmo em seu dinheiro – para falar sem rodeios.

 É preciso ressaltar que nada há de errado em alguém fazer lobby ou manifestar claramente o seu interesse por alguém que detém uma posição decisória referente à atividade que exerce. E que está nessa posição deve compreender que será mesmo, inevitavelmente, alvo de pessoas que manifestarão esse interesse de várias formas. O perigo está em confundir esse puro interesse com “amizade”.

Isso pode ser considerado falta de ética ou até maldade de parte do bajulador, mas com certeza será ainda mais desastroso para quem é bajulado, pois, com certeza terá uma grande decepção no exato momento em que perder o poder ou a posição e constatar que esses “amigos” desapareceram do dia para a noite.

 Assim, que é assediado por ter algum tipo de poder, precisa tomar muito cuidado, até com os aspectos “éticos” dessas “amizades” exageradas. São presentes oferecidos por fornecedores e aceitos por clientes. São finais de semana em estâncias de turismo pagas por empresas fornecedoras. São “mordomias” vistas como “normais” e colocadas numa conta de “amizade” e que sabemos não caber nessa conta.

 Pois, no exato momento em que você perder o poder que interessava, esses “amigos” serão os primeiros a lhe abandonar e até denunciar acusando-o de ter solicitado todos os favores concedidos.
Pense nesse ditado italiano. Veja se você não está sendo alvo de falsas amizades que poderão lhe prejudicar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário