sábado, 31 de agosto de 2013

CIDADE DE TIRADENTES E AS OBRAS DE ALEIJADINHO

Artigo de autoria do Sap. Ir. Barbosa Nunes - Grão Mestre Adjunto - GOB
Publicado no Jornal Diário da Manhã, edição de 31 de agosto de 2013

Pela fidalguia e hospitalidade mineira acrescentada pela fraternidade maçônica, fui recebido no Aeroporto Internacional de Confins Tancredo Neves, em Belo Horizonte, pelo militar e membro do Conselho Federal do Grande Oriente do Brasil, Lindenberg Castorino da Costa, que me assistiu da mesma forma no retorno a Goiânia. Disse-me orgulhosamente ter participado por vários anos, integrando o planejamento e a construção do terminal aéreo, realizada pelo Ministério da Aeronáutica e governo mineiro.

Conduzido pelo Grão-Mestre Amintas de Araújo Xavier, percorremos o roteiro das cidades históricas de Minas Gerais, chegando a Tiradentes, cidade nos pés da Serra de São José. Pelas suas ruas de pedras do Centro Histórico, misturam-se igrejas barrocas, pousadinhas, pousadas em casarões em estilo colonial, restaurantes românticos, ateliês e lojinhas de artesanato. Tiradentes, fundada por volta de 1702, é cidade tombada pelo então Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1938. A cidade se destaca pelo Festival de Cinema Internacional e Festival Cultura e Gastronomia, dois eventos que atraem centenas de milhares de pessoas.

Durante o deslizar tranquilo do veículo entre serras e morros de Minas Gerais, o comunicativo Amintas contou histórias sobre São João Del Rei, Congonhas, Mariana, Ouro Preto e Tiradentes. Após muitas curvas, a rodovia margeou Congonhas do Campo. Neste ponto fui levado a Basílica do Senhor Jesus de Matosinhos, que abriga as doze estátuas dos profetas, esculpidas em pedra sabão, por Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como “Aleijadinho”, que viveu de 1730 a 1814, filho do carpinteiro português, Francisco Lisboa e de uma escrava negra. 

É o maior artista da escultura brasileira de todos os tempos. Filho bastardo, mestiço, carregou no corpo e na alma, além dos preconceitos, uma doença não definida até hoje, que foi privando o artista dos dedos dos pés e das mãos, deformando-o. Teve uma força maior que a sua doença e esta força o impulsionava a continuar produzindo as obras que o iriam imortalizar. Foi sepultado quase que como um indigente em uma vala comum e foi negado a ele, mínimo reconhecimento.

O conjunto apresenta os quatro principais profetas do Antigo Testamento - Isaias, Jeremias, Ezequiel e Daniel, em posição de destaque na ala central da escadaria. 

Os, Baruc (não foi profeta), Oséias, Jonas, Joel, Abdias, Amós, Naum, Habacuc, estão em esculturas de proporções muito distorcidas. Uns afirmam que pela doença de Aleijadinho, que dificultava o manejo do cinzel, outros se inclinam para identificar uma intencionalidade expressiva, que se apresenta em uma gesticulação variada e teatral, imbuída de significados simbólicos e até com propósitos ocultos na composição do conjunto.

Nos profetas de Aleijadinho a simetria é rigorosa. O profeta da extrema esquerda está inclinado para o centro, assim como o da extrema direita. O dedo apontado para o alto do profeta da direita se casa à perfeição com dedo apontado para o alto do da esquerda.

Os seis profetas de um lado falam de temas otimistas e têm expressões alegres, os seis do outro lado, alertam para flagelos e horrores, retratados com fisionomias sérias e graves. Há dezenas ângulos retos nas esculturas dos 12 profetas. Se se pegar um conjunto de três profetas, quaisquer deles, cria-se um triângulo equilátero. Os guias turísticos dizem de que há relação com a maçonaria. Alguns estudiosos veem um templo maçônico com os profetas em posicionamento normal de uma Loja. Ao fundo, a igreja como se fosse o altar maçônico, tendo o céu como a abóboda celeste.

Outro fato muito citado é que Aleijadinho ao escolher quais profetas retratar em pedra sabão, compôs o seu próprio nome. No posicionamento dos gestos, muitos historiadores maçons encontram sinais maçônicos.
Marilei Vasconcelos, pesquisadora, distinguiu nos profetas uma série de símbolos maçônicos e Isoldi Venturele, atribuiu a Aleijadinho inclinações políticas libertárias.

Aleijadinho não foi maçom, mas o seu pai, mestre de obras e arquiteto português, foi maçom ativo. Na certidão de batismo, consta que Aleijadinho nasceu escravo, sendo alforriado, conforme dados aceitos pelo museu Aleijadinho, localizado em Ouro Preto.

Seguimos viagem e quinze quilômetros após chegamos à cidade de Tiradentes. Fomos recepcionados pelos maçons das Lojas “Umbral das Vertentes” e “Liberdade e Fraternidade Pradense”, respectivamente Gelson Inácio da Silva, Valmir Neves Lombello, Tarcísio Nonato de Paula, Gabriel Campos de Oliveira, Júlio de Pilar Bolognani, César Murilo Trindade Velho, Manoel Messias de Alves Lima, Cláudio Márcio Ferreira, Marco Antônio da Silva Rios, Luiz Cláudio da Silva e Gustavo Rodrigues Dias, que nos levaram aos pratos da culinária mineira, em amplo restaurante e suas varandas, com um fumegante fogão contendo tutu mineiro, linguiça, frango ao molho pardo, feijão tropeiro, leitão à pururuca, frango com “orapronobis”, crocante torresmo à pururuca, couve e angu, frango com quiabo, não faltando a tradicional cachaça, seguido por canudo de doce de leite, pé de moleque, canjica, queijo fresco, este símbolo maior das iguarias de Minas Gerais e derivados, como pão de queijo e coalhada, além de ambrosia e outras delícias. A comida mineira é substanciosa e como bom mineiro, Amintas disse: “Comida com sustança”.

Nos deslocamos pelas ladeiras da cidade, entre pedras altas e baixas que não permitem um andar equilibrado, muito menos para mulheres portando salto alto, mas chegamos ao objetivo da viagem realizada, que era por indicação que agradeço, do Grão-Mestre Amintas de Araújo Xavier, participar da solenidade e receber o Colar do Mérito Cívico Joaquim José da Silva Xavier “Alferes Tiradentes”, concedido pela Ordem dos Cavaleiros da Inconfidência Mineira, acompanhado do certificado assinado pelo Comendador Grão Colar, Celso Rafael de Oliveira.

A Ordem dos Cavaleiros da Inconfidência Mineira é uma instituição cívica, filantrópica e cultural, que tem como pilar do seu objetivo social, um dos mais importantes movimentos sócio/culturais e históricos do Estado de Minas Gerais, a INCONFIDÊNCIA MINEIRA. Tem na sua essência uma das mais importantes premiações ao reconhecimento de pessoas físicas e jurídicas que prestam comprovados serviços à história, cultura e sociedade. É seguidora dos princípios tradicionais da Ordem dos Cavaleiros Hospitaleiros, de Vila Rica, criada na antiga capital de Minas Gerais, possivelmente pelo inconfidente Tomás Antônio Gonzaga, por volta de 1789, atuando em Tiradentes na época da Colônia.


segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Perdoar



Nosso coração é a porta de nossa alma, devemos mantê-lo limpo e puro, retirar tudo que nos aflige e traz esgotamento mental e espiritual à nossa vida, o qual a melhor forma de fazer isto é perdoar os que de alguma forma nos causam mal, não precisamos revidar ou retrucar uma agressão, não é por qualquer motivo que devemos nos contrariar.

Nossa mente é um condutor de energia, pensamos e atraímos, acreditamos e vira realidade e é em todas as esferas, se pensa o bem, atrai o bem, se pensa o mal, o que atrai é maldade e ódio para sua vida, por isso, conduza seus pensamentos para atrair o bem e todas os benefícios que o universo possa trazer a você, traga para dentro de seu coração apenas as coisas leves e espiritualizadas que pairam sobre você.

Um ser humano que busca a evolução da carne e do espírito deve se desapegar da busca incessante em revidar o mal, olho por olho e dente por dente, mas em nome de um bem maior e de uma força acima de todas as coisas neste mundo, buscar passar por cima dos problemas e obstáculos que o dia a dia da vida e de um mundo cheio de problemas nos traz e fazer apenas o bem, lembre-se gentileza sempre gerará gentileza, combatemos o mal, apenas com o bem, devemos nos afastar daquilo que não nos traz nenhum benefício, mas sem causar maiores impactos a nossa áurea, simplesmente nos afastamos e pedimos aos seres divinos e a Deus que conduza aquele que nos faz o mal a progredir em sua vida, pois tudo que pedimos e queremos que aconteça aos outros, pode voltar a nós.

Perdoar é a essência do ser iluminado e diferenciado, perdoar é divino, o homem/mulher que perdoa em qualquer circunstância e se afasta dos duelos e das intrigas, contornando o mundo dos seres menos iluminados e se colocando em um patamar de bondade e iluminação, tende a ser prospero em todas as circunstância da vida terrena e espiritual.

Sabemos que nos dias de hoje, com tanta maldade e fraqueza do ser humano é muito difícil falar em perdão, mas se realmente quisermos evoluir e ser uma fonte de luz e imagem e a semelhança daquele que nos deu a vida, começamos a repensar nossos conceitos sobre o que fazemos e para que viemos a este mundo.

Não podemos esquecer jamais que somos exemplos de vida a nossos filhos, amigos, familiares, conhecidos, que nossas atitudes, por mais que não prestemos atenção, estão sempre sendo analisadas e avaliadas por estas pessoas e nos casos de sermos líderes e chefes de família e comunidade, a situação é até mais crítica pois eles, os seres divinos podem nos cobrar o bem e da forma que não gostaríamos, gentileza gera gentileza e maldade gera maldade, tanto para nós, quanto para aqueles que nos tem como espelho e exemplo e estão ao nosso lado.

Quem tem seu coração aberto ao bem e é livre da maldade e das maledicências do mundo, sempre estará um passo a frente dos demais, por isso, faça o bem e dê exemplo de bondade e gratidão ao seu semelhante, fique na luz e seja um condutor de boa vontade e amizade, livre seus pensamentos de coisas mundanas e pequenas,  ninguém é criado a imagem e semelhança de Deus, para ser fraco e rancoroso e sim para ser digno do nome dele e cheio de espiritualidade e para aqueles que lhe fazem o mal, peça o bem a eles e deixe que o universo de conta dos seus atos, com certeza quem faz o mal, um dia será cobrado por ele...

Que nossa semana seja cheia de graça e iluminação, que nossas vidas transbordem em amor e felicidade e que consigamos lutar por um mundo melhor, cheio de vida e alegria, beijos a todos e ótima semana.

Fraternalmente 

Ir. Arlindo Chapetta

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Por que é importante doar sangue?


A doação demora dez minutos e pode ajudar a salvar uma vida

O sangue funciona como um transportador de substâncias de extrema importância para o funcionamento do corpo. Além disso, quase toda a defesa do organismo está concentrada nele. É um tecido de extrema importância para o funcionamento da máquina humana e não pode ser substituído por nenhum outro líquido. Por este motivo a doação é tão importante.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o percentual ideal de doadores para um país esteja entre 3,5% e 5% de sua população. No Brasil esse número é preocupante, pois não chega a 2%. Esta quantidade, ainda sofre uma queda alarmante durante o inverno e as férias, períodos em quem os hemocentros são praticamente obrigados a operar com menos que o mínimo necessário. Ainda, complementando alguns dados estatísticos, o Ministério da Saúde divulga que os homens são responsáveis por mais de 70% das doações no Brasil e os jovens de 18 a 29 anos, correspondem a 50% dos doadores.

Levando em conta todos esses números, a VivaSaúde procurou a Fundação Pró-Sangue, maior hemocentro da América Latina, para obter orientações e esclarecimentos de dúvidas, que podem ser suas.

Alguns mitos levantados por pessoas sem a devida instrução têm colaborado para que os hemocentros recebam menos doadores. Entre eles estão:

- Quem doa sangue uma vez tem que continuar doando pelo resto da vida;
- A doação "engrossa" o sangue, entupindo as veias;
- A doação faz o sangue "afinar", "virar água", provocando anemia;
- Doar sangue engorda;
- Doar sangue emagrece;
- Doar sangue vicia;
- Mulheres menstruadas não podem doar sangue;
- "Posso ficar sem sangue suficiente";
- Os doadores correm risco de contaminação.

Segundo Vânia de Oliveira, da Fundação Pró-Sangue, o doador não corre nenhum dos riscos citados acima. "A reposição do plasma leva 24 horas e os glóbulos vermelhos se reproduzem em quatro semanas. Entretanto, para o organismo atingir o mesmo nível de ferro que apresentava antes da doação, são necessários de 40 a 60 dias para os homens e de 50 a 90 dias para as mulheres. Todas as exigências de higiene são seguidas a risca para que o voluntário, o receptor e a equipe não corram risco de contaminação", acrescenta.

O voluntário passa por três etapas antes que o sangue seja retirado. A primeira consiste no cadastro de dados pessoais, em seguida é feita uma triagem clínica que inclui um questionário sobre a saúde da pessoa, um teste de anemia, a verificação da pressão arterial e o peso do doador. A terceira etapa consiste no que a equipe do hemocentro chama de Voto de Auto Exclusão, nessa fase o candidato tem a oportunidade de dizer se tem comportamento de risco para Aids. Sua identidade é preservada, pois a bolsa é identificada por meio de um código de barras. Se a resposta for SIM, ele fará a doação, o sangue passará por todos os testes e, mesmo que os resultados forem negativos, a bolsa será desprezada. Caso a resposta seja NÃO, a bolsa só será utilizada se todos os exames apresentarem resultados negativos.

Para ser um doador, a pessoa deve pesar no mínimo 50 kg, estar munida de um documento com foto, além de ter entre 18 e 65 anos de idade e estar devidamente descansado e alimentado. Atendendo aos requisitos físicos e de saúde, você pode ser um doador. Procure um hemocentro próximo a você e pratique esse ato de vida!

Por Denise Mello
Revista Viva Saúde

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Amigo




Amigo, o que seria um amigo no tempos de hoje, onde a interatividade e impessoalidade fala mais alto que a presença física diária, tenho notado e até feito alguns estudos sobre comportamentos, no dia a dia pessoalmente e redes sociais.

Percebo que o olho no olho, o toque e aquela conversa, vem perdendo espaço para o bate papo via redes sociais, vejo pessoas que se quer saem de casa, tudo é rede social e internet, sim, estamos em outra época e como tudo nesse mundo, sofremos as transformações e evoluções humanas e tecnológicas, mas e o nosso passado, nossa história, será que era de tudo ruim, evoluímos e usamos as redes sociais para falar com amigos e até criar novos relacionamentos, mas e o dia a dia, quanto tempo passamos com nossos amigos e nossa família, tomamos um bom vinho, aquela cerveja gelada,um almoço especial e aproveitamos a sua presença, nem se quer mais damos feliz aniversário pessoalmente para alguns, agora é via facebook.

E as compras via internet, as famílias não vão mais ao supermercados, as lojas de magazine e eletrônicos e interagem testando o melhor produto e o que cada um gosta, será que o tempo que você ganha comprando na internet, está sendo utilizado para seus amigos e família em outros aspectos, ou simplesmente está perdendo aquele momento de união e até discussão da escolha do produto e o próprio passeio e interação de ir até o local e escolher.

Acredito que esta chegando o momento de escolhermos a individualidade por completo ou retornarmos ao princípio da coletividade e amizade, focar a família como célula mãe e agregar os demais a sua volta, pense como é maravilhoso, rir com as pessoas e deixar a felicidade tomar conta de nossas vidas, empatia, se não tomarmos cuidado esta palavra sumirá e em seu lugar teremos curtir “dar curtidas no facebook”.

Lógico, não vamos abandonar a tecnologia e muito menos, deixar de usar os meios de evolução para nosso dia a dia, porém, precisamos dosar isso e retornar ao jogo de boliche, a corrida de rua, sentar em frente a calçada, ir a um barzinho, visitar os amigos de domingo e feriado, ir ao cinema, parque, teatro e circo, entre outras coisas e ainda será bem melhor se chamarmos nossos amigos e fazemos isso em companhia.
Passamos em nossa sociedade um momento muito difícil onde você não consegue distinguir quem é bom de quem fará a maldade, mas pensamos e avaliamos, será que isso não tem haver com nossas escolhas e mudanças de comportamento, onde abandonamos a família e a religião “princípio da moralidade e espiritualidade”, seja qual for e passamos a viver plenamente na individualidade, impessoalidade e competitividade total, sem se importar com o próximo, pergunte a si mesmo e responda? quantos asilos, hospitais, creches, abrigos entre outras coisas você visitou nos últimos anos e com a resposta entenderá o quanto você esta fazendo pelo próximo, só contribuir por telefone, não adianta, chame seus amigos e faça alguma coisa pela humanidade, aí sim, você usando a evolução tecnológica “redes sociais, internet e telefone” conseguirá convoca-los e reunir mais amigos e marcar algo legal em pró daquele que precisa.

Pense bem o que é definição de amigo e família para você e faça uma reflexão, o que vem fazendo por eles e o que quer de melhor para esse relacionamento, busque sua resposta e espero que ache dentro de várias que possa vir a achar, o amor e principalmente a presença física e companhia.
Ótima semana a todos....

Fraternalmente

Ir.: Arlindo Chapetta

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Lorraine e Escocesismo, mais que um território em disputa!




A cruz de lorena, ou Lorraine no francês original, é um dos maiores símbolos do sistema maçônico, conhecido como Rito Escocês Antigo e Aceito. Mas pouco se discute, de sua origem e real significado. Pra quem conhece França, o quiche lorraine tenha nos dias atuais, celebrizado aquela região, ainda que não me diga muito pelo bacon que leva em sua composição. Entretanto, fugindo da gastronomia, tentemos aplacar nossa fome de conhecimento, no rol da história...

Lorraine, muito legou ao mundo, com vários de seus filhos ilustres, Joana D’Arc, Bruno D’Eguisheim-Dagsbourg - o Papa Leão IX, e mais recente o sociólogo Émile Durkheim e Michel Platini. Não longe dali, nasceu também Jacques DeMolay, ainda que naquela época - 1244 - Vitrey pertencesse à Borgonha. 

Todos sabemos, que a II Grande Guerra, teve na disputada região da Alsácia Lorena ( Alsace-Lorraine, em Frances ou Elsass-Lothringen, em Alemão ), uma boa desculpa para seu ‘estopim’, uma vez que, os alemães com a desculpa das minas de ferro e carvão da região, tentaram ocupar a estratégica região, que faz hoje fronteira com Bélgica, Luxemburgo e a Alemanha. 

Alguns, tentam sugerir algo mais, do que o orgulho ferido dos alemães, em reocupar a região perdida, na I Grande Guerra Mundial. Fatores outros, mais importantes do que uma simples revanche estavam em jogo. E nesse jogo, não temos como descartar o Templarismo, os Carolíngios e muitos mitos que cercam aquela região.

Voltando ao passado, Lorraine foi palco do armístico de Westfália ( Alsácia ) e uma das ultimas cidades, do Sacro Império Romano-Germânico. Aqui já poderíamos quase que findar nossas buscas, uma vez que teríamos respondido o motivo pelo qual a direção dos supremos conselhos do mundo, se denominam Sacro Império, e sendo assim, a associação legítima da Cruz de Lorena. Entretanto, “pesquisa mingau”, aquela que só ‘come’ pelas bordas não tem graça...

Antes do Sacro Império, no século V, os hunos protagonizaram uma grande migração, para muitas cidades europeias. Nessa época os merovíngios - ou seus ancestrais - cruzaram o reno e se estabeleceram na gália, o que hoje seria parte da Bélgica e norte da França. Esse reino era chamado de Austrasie, e seu centro, nossa pesquisa Lorraine.

Entretanto, precisaríamos pesquisar um pouco mais quem foram os merovíngios, ou quem seriam seus descendentes. É dito que houve um personagem histórico chamado Mérovée, e de seus descendentes sicambrianos, seu filho foi o primeiro Rei oficial dos Francos. Aqui somente poderíamos escrever um extenso trabalho, e sugiro aos interessados, uma meticulosa e dedicada pesquisa... Como de maneira plácida e civilizada, os descendentes de esvoaçantes cabelos amarelos, estabeleceram cultura e conhecimento, naquela região.

O Reino dos Merovíngios, não era brutal como os Vikings ou os Hunos, não, acabou se consolidando através da agricultura e do comércio, práticas bem comuns aos judeus, e seus trabalhos de alta qualidade, podem ser avaliados nas moedas de ouro, onde encontramos pela primeira vez, cunhada a cruz de Lorraine, que passou a ser um dos símbolos da região.

Interessante lembrar, que os filhos de sangue merovíngio, já eram considerados ‘capazes’ a partir dos doze anos ( os judeus aos treze ), sem coroação ou unção, necessários ! Como os patriarcas da Torah, eram polígamos, vindo a ser tornar monogâmicos, quando da associação com a Igreja. 

Quem mais celebrizou tal dinastia, foi Clovis I, que reinou entre 480 e 511. Convertido ao Catolicismo romano, foi através dele, que a Igreja se estabeleceu na Europa. Assim, foi denominado após sua ‘conversão’ de Novus Constantinus. Nas palavras de Saint Remy, “Mitis depone colla, Sicamber, adora quod incendisti, incendi quod adorasti.” - Inclinai vossa cabeça humildemente, Sicambriano, reverencieis o que haveis queimado e queimai o que reverenciavas !”

Infelizmente, a fidelidade da Igreja, não durou tanto. Com a morte de Clóvis, seus quatro filhos sucederam diferentes reinos e com os frequentes rivais, e conflitantes sucessões, não demorou muito para que fossem conhecidos por, ‘les rois fainéant’ - os Reis Enfraquecidos. Assim, Dagobert - neto de Clóvis - sob perigo de morte, foi exilado na Irlanda e mais adiante se estabeleceu em York - Inglaterra. 

Bem meus Irmãos, até aqui escrevemos muito, e talvez perguntem os senhores: ' Porque ir tão longe ?’ Bem ! Dagobert foi morto, virou santo e um de seus descendentes, Godfroi de Bouillon, neto do Duque de Lorraine, em 1093, mobilizou um exército para resgatar da Igreja de Stenay, onde estava as relíquias de Dagobert, e devolvê-las à Abadia de Gorze.

Mais a frente, nasce o pacto da unção. Traídos os merovíngios, com a morte de Dagobert, pelas mãos da Igreja, precisaríamos de uma nova forma de pacto. Assim em 800, a igreja estabelece a Unção, como forma de sob novo ritual, “fabricar” reis. Dessa forma, Carlos Magno, é coroado e a igreja estabelece, o pretexto de autorizar o ‘governo’ de alguns, somente com sanção papal.

Assim em 1118, ainda que alguns digam que oi em 1114, os templários com ajuda da família de Godfroi, mais especificamente sua Tia, Mathilde de Toscane, Duquesa de Lorraine, são estabelecidos, e assumindo as regras de S. Bernardo de Clairvaux, este Cisterciense, de maneira apoteótica, se tornam uma das mais ricas Ordens da Cristandade. 

Caso analisemos com mais atenção, veremos que as contribuições de Lorraine, foram cruciais para o advento dos Templários e outras organizações, um pouco ‘distantes’ da Igreja. 

Mais adiante, em 1550 a casa Lorraine e Guise, tentam em conjunto exterminar a linhagem Valois e assim, reivindicar o trono Frances. Assim veremos que havia uma forte ligação, com outra organização, também cercada de mistério, digo, o Monastério do Sinai.

Curiosamente, não são poucos os que associam o Rito Escocês, como forma de restabelecimento dos Stuart ao trono inglês. Assim, temos uma trama, onde a menor ficha, seria o Rito Escocês Antigo e Aceito, no meio da Companhia do Santo Sacramento, do ‘Monastério de Sion’, e do ‘Saint Sulpice’... Um pouco desta história é contada nos altos graus, como a ‘cabeça das três faces’ ou erroneamente chamado Baphomet, quando o que queriam dizer talvez fosse uma transliteração do árabe - 'abufihamet', pai da compreensão ou pai da sabedoria, onde pai, também pode ser entendido como fonte... ou o próprio escudo da casa de Payens, pudesse explicar alguma coisa...

Bem meu irmãos, muitas são as conjecturas, mais ainda as conexões e afirmações extravagantes, onde não sabemos, onde nasce o mito ou a mentira. Porém, com a internet e tantas bibliotecas, além dos próprios rituais, algo pode e merece ser desvendado, assim com a aurora das nações se aproximando, a quinta hora é chegada, basta que o interesse dos nossos irmãos e a vontade de ir além, fomente nos senhores, a prática do estudo e o deleite de redescobrir, o que estava tão próximo de nos, e com olhos vendados parecia-nos tão inacessível... 

Bom estudo !

Max Hager
ARLS GM Alberto Mansur #3196 GOB
Internet Lodge #9659 UGLE

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

DROGAS: A SOCIEDADE PRECISA DE ATOS DE CORAGEM

O pronunciamento do Papa Francisco, feito no dia 24 de julho Último, no Hospital São Francisco de Assis, no Rio de Janeiro, quando de inauguração do Polo de Atendimento para Dependentes Químicos, trouxe a mim a oportunidade de rememorar os passos iniciais do envolvimento do Grande Oriente do Estado de Goiás e posteriormente Grande Oriente do Brasil, com o trabalho de prevenção ao uso de drogas. A ideia nascida em 1996, por sugestão e necessidade da Loja Maçônica “Acácia Cristalinense”, que na época trouxe ao Grão-Mestre Estadual José Ricardo Roquette, a solicitação, como pedido de socorro, para que a instituição aderisse àquele clamor, em função do grande número de jovens que estavam adentrando ao uso.

Na sequência, em deslocamento para a Loja “Aurora de Caiapônia”, fomos convidados para estruturar a iniciativa, quando logo após frequentamos cursos com o saudoso farmacêutico e toxicologista Jamil Issy e com Maria Sônia França, do Grupo Amor Exigente. Assim, em outubro de 1997, era lançado no Palácio Nasseri Gabriel, de Goiânia, o Programa “Maçonaria a Favor da Vida – Contra as Drogas”, posteriormente nacionalizado pelo Grande Oriente do Brasil.

Tive a honra de produzir a revista orientativa e ser o seu coordenador estadual e nacional, desde aquela época até a presente data, tendo a revista sido aprovada pelo Conselho Estadual de Entorpecentes de Goiás, publicada em várias edições, com milhares de unidades por todo o país. Continuamos disponibilizando a pesquisa sem ônus aos nossos amigos que nos prestigiam todos os sábados, com a leitura deste, bastando informar o endereço de postagem.

Elencamos o uso de drogas, um entendimento inicial, como funciona a dependência, o relacionamento familiar, o ambiente social e o uso de drogas, a comunidade e as drogas – família e escola, as principais drogas, com histórico, efeitos e consequências de seu uso, drogas e AIDS, como evitar o problema, espaço de perguntas e respostas.

O interesse pela prática da prevenção primária é pequeno, seja dos meios público, privado e familiar, pois a prevenção primária é buscar o jovem antes que a droga nele chegue. Mas nós vivemos em uma sociedade culturalmente incentivadora ao uso de drogas, pois esses poderes e a própria família permitem por patrocínios e comemorações, o uso da pior das drogas, mais ofensiva, caminho para maconha, cocaína, crack e outras, que é o álcool, lamentável e tragicamente sendo consumido como sinônimo de alegria, festejos familiares e ao redor até de festas religiosas.

Saudoso Jamil Issy, se aqui estivesse, Maria Sônia França, do Grupo Amor Exigente, ambos fervorosos católicos, aplaudem e veem no pronunciamento deste Papa do povo, dos pobres e dos injustiçados, uma grande luz e esperança com relação ao sofrimento de jovens usuários e em recuperação, o que atinge com muita dor suas famílias e seus futuros.
O Grande Oriente do Brasil via “Maçonaria a Favor da Vida – Contra as Drogas”, manifesta-se e sintonizado está com o Papa Francisco, na esperança de que possamos juntos, compreender, adquirir consciência e mudar os nossos comportamentos perante o uso de drogas.

Convido-o a meditar sobre o pronunciamento de Francisco, que a seguir é transcrito:
“Hoje, neste lugar de luta contra a dependência química, quero abraçar a cada um e cada uma de vocês – vocês que são a carne de Cristo – e pedir a Deus que encha de sentido e de esperança segura o caminho de vocês e também o meu.

Abraçar. Precisamos todos de aprender a abraçar quem passa necessidade, como São Francisco. Há tantas situações no Brasil e no mundo que reclamam atenção, cuidado, amor, como a luta contra a dependência química. Frequentemente, porém, nas nossas sociedades, o que prevalece é o egoísmo. São tantos os “mercadores de morte” que seguem a lógica do poder e do dinheiro a todo o custo! A chaga do tráfico de drogas, que favorece a violência e que semeia a dor e a morte, exige da inteira sociedade um ato de coragem. Não é deixando livre o uso das drogas, como se discute em várias partes da América Latina, que se conseguirá reduzir a difusão e a influência da dependência química. É necessário enfrentar os problemas que estão na raiz do uso das drogas, promovendo uma maior justiça, educando os jovens para os valores que constroem a vida comum, acompanhando quem está em dificuldade e dando esperança no futuro. Precisamos todos de olhar o outro com os olhos de amor de Cristo, aprender a abraçar quem passa necessidade, para expressar solidariedade, afeto e amor.

Mas abraçar não é suficiente. Estendamos a mão a quem vive em dificuldade, a quem caiu na escuridão da dependência, talvez sem saber como, e digamos-lhe: Você pode se levantar, pode subir; é exigente, mas é possível se você o quiser. Queridos amigos, queria dizer a cada um de vocês, mas, sobretudo a tantas outras pessoas que ainda não tiveram a coragem de empreender o mesmo caminho de vocês: Você é o protagonista da subida; esta é a condição imprescindível! Você encontrará a mão estendida de quem quer lhe ajudar, mas ninguém pode fazer a subida no seu lugar. Mas vocês nunca estão sozinhos! A Igreja e muitas pessoas estão solidárias com vocês. Olhem para frente com confiança; a travessia é longa e cansativa, mas olhem para frente, existe “um futuro certo, que se coloca numa perspectiva diferente relativamente às propostas ilusórias dos ídolos do mundo, mas que dá novo impulso e nova força à vida de todos os dias”. A vocês todos quero repetir: Não deixem que lhes roubem a esperança! Mas digo também: Não roubemos a esperança, pelo contrário, tornemo-nos todos portadores de esperança!

No Evangelho, lemos a parábola do Bom Samaritano, que fala de um homem atacado por assaltantes e deixado quase morto ao lado da estrada. As pessoas passam, olham, mas não param; indiferentes seguem o seu caminho: não é problema delas! Somente um samaritano, um desconhecido, olha, para, levanta-o, estende-lhe a mão e cuida dele”.
“Maçonaria a Favor da Vida” chama a todos para humildemente, recebermos a pergunta e dar a nossa resposta. A culpa é do jovem ou da estrutura onde vive e é formado, da sociedade que integra? O que está ou anda à roda do adolescente? Em que esfera vive o jovem de hoje? Em que meio, em que corpo social, quais as relações, as oportunidades, as perspectivas? Em que ambiente social e familiar vivem nossos filhos?

Responda e se contextualize diante do problema.

Via Sap. Ir. Barbosa Nunes
Grão Mestre Adjunto - GOB
Artigo publicado no Jornal Diário da Manhã, edição 03.08.2013

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

10 EXERCÍCIOS PARA MELHORAR A SUA FORÇA DE VONTADE E AUTO-DISCIPLINA

Ter força de vontade significa sermos capazes de fazer o que devemos de forma intencional, vencendo as dificuldades e/ou os estados de ânimo. A força de vontade estabelece uma relação muito forte com a motivação. Motivação, é ter um motivo para a acção, esta acção terá tanto mais ímpeto quanto mais disciplina você tiver. Juntando os conceitos: a força de vontade, utiliza a motivação que temos para a acção, a acção é tanto mais orientada quanto mais disciplina for colocada na persecução do objectivo a alcançar.

Não é preciso grande força de vontade para fazer coisas prazerosas como divertir-se ou ficar deitado sem fazer nada. Pois à nascença todo o ser humano trás já no seu reportório uma tendência natural para a adaptação hedónica (adaptação natural a acontecimentos considerados positivos e prazerosos). Por isso a força de vontade pode ser considerada uma virtude preponderante na nossa vida, esta virtude destaca-se porque permite-nos realizar aquilo que naturalmente não é fácil, mas que necessita de grande esforço, dedicação e trabalho da nossa parte. De uma forma geral, quem na sua vida tem um elevado grau de força de vontade, destaca-se dos outros, é apreciado e admirado pela capacidade de orientar e governar a sua vida.

REFORÇAR A FORÇA DE VONTADE
No reforço e prática da força de vontade valem todos os pequenos esforços: Por exemplo quando se trata de terminar a obrigação apesar do cansaço, de estudar a matéria que nos custa, recolher o que está fora do lugar, vestir-se apropriadamente, levantar da cama apesar da falta de vontade, tudo isto pode ser um excelente exercício de força de vontade na vida quotidiana. Encaminhamo-nos passo a passo a grandes conquistas pessoais, pela força do hábito de nos forçar-mos a criar rotinas que dependem da nossa disciplina mental (controlo do que queremos pela acção da vontade própria). Aos poucos vamos forjando pela força de vontade um carácter que actua de forma coerente com aquilo com o qual nos propomos.

NÃO PARE NO FRACASSO
Quando fracassamos não devemos parar no fracasso. Podemos ter fracassado porque não nos empenhamos bastante, ou porque criamos uma expectativa irreal sobre um determinado curso de acção, lugar, coisa ou pessoa. E quando essas pessoas ou circunstâncias nos desapontam pensamos que fracassamos de alguma maneira. Mas os fracassos ou desencantos devem ser vistos como uma óptima oportunidade para aprendermos sem nunca nos determos neles mais que o necessário para perspectivarmos novas formas de obter o que desejamos.

O fracasso que na grande maioria das vezes tememos enfrentar e aceitar, é o que nos impede de nos realizarmos como pessoa, de realizar o nosso projecto de vida. Persistir, recomeçar ou empenhar-nos mais da próxima vez, essa deve ser sempre a nossa lição nos pequenos fracassos, porque nunca deixamos de olhar o objectivo maior, por ficarmos com o olhar preso no obstáculo que caiu mais atrás, nunca deixamos de nos focar intencionalmente na recta da meta.

Adoptando uma perspectiva optimista, não interessa as vezes que caímos, mas sim aquelas que estamos dispostos a levantarmo-nos. Às vezes os fracassos despertam novas potencialidades, possibilidades e oportunidades, e até por vezes algumas das nossas forças escondidas.

Com relativa facilidade, podemos deixar-nos levar pelo estado de ânimo do momento, deixando de fazer as coisas que deveríamos (aquelas que achamos ser boas para nós e desejamos alcançar), porque é grande o impulso para nos dedicarmos às coisas das quais obtemos prazer de forma fácil, rápida e sem necessidade de termos qualquer habilidades ou competência.

MUNDO DE POSSIBILIDADES
Vivemos numa época em que a competitividade se tornou feroz, em que a mudança é certa, somos forçados diariamente a constantes adaptações. Por tudo isto reconheço que querer concretizar determinados objectivos, pode tornar-se num calvário repleto de obstáculos, dificuldades e desilusões. Em contrapartida, nunca vivemos numa época em que existisse tantas possibilidades. O mundo está repleto de possibilidades para todos, a informação e a educação está cada vez mais acessível no mundo global. Talvez escolher entre tantas oportunidades e possibilidades se torne só por si uma tarefa de Hércules. É aqui que a força de vontade e disciplina mental se tornam fundamentais. Desenvolver e trabalhar estas áreas é um caminho para nos munirmos de “armas” para combater as dificuldades que inevitavelmente se nos deparam na vida.

SABER AQUILO QUE GOSTAMOS E QUEREMOS
É preciso estarmos atentos ao que nos rodeia, e tentar perceber onde é que as nossas paixões se podem encaixar, onde é que as nossas melhores habilidades e competências podem surtir melhores resultados. Aliado a tudo isto, e mais importante que qualquer coisa, é necessário conhecer e reconhecer aquilo que gostamos, e que queremos estabelecer como objectivo. Aquilo que nos faz sentir bem, no qual nos possamos sentir como peixe na água. Este caminho de descoberta, pode ser o nosso maior aliado tornando-se num facilitador de vida. Saber o que gostamos, conhecer as nossas forças e virtudes, as nossas capacidades e como as colocar em acção, é meio caminho para sermos bem sucedido nos objectivos que traçamos.

TRAVAR OS IMPULSOS
Para melhorarmos a nossa força de vontade, devemos munirmo-nos da sua melhor aliada a auto-disciplina. A auto-disciplina é o companheiro da força de vontade, dotando-a com a resistência para persistir em qualquer coisa que você faça. Ela confere a capacidade de suportar privações e dificuldades, seja física, emocional ou mental. Ela concede a possibilidade de rejeitar a satisfação imediata, a fim de obter algo melhor, mas que exige esforço e tempo. Esta capacidade está descrita no mundo da psicologia como uma componente primordial na inteligência emocional, que é a capacidade para adiar a recompensa.

Todos nós temos no nosso mundo interior, impulsos inconscientes, ou parcialmente conscientes, que pontualmente nos levam a dizer ou fazer coisas que lamentamos mais tarde. Em muitas ocasiões, nós seres humanos não pensamos devidamente antes de falar ou agir. Ao desenvolver estes dois poderes, a força de vontade e auto-disciplina tornamo-nos conscientes da nossa vida interior, dos nossos impulsos subconscientes, ganhando assim a capacidade de os rejeitar quando não são bons para nós ou para os objectivos que queremos alcançar.

Às vezes, você deseja ir dar um passeio, sabendo o quanto é bom para a sua saúde e como se sentirá muito bem com isso, no entanto, por vezes sente preguiça, e prefere ver TV. Você pode estar ciente do facto de que precisa mudar os hábitos alimentares ou parar de fumar, no entanto, não tem a força interior e persistência para mudar esses hábitos. Será que isto lhe é familiar?

Quantas vezes você já disse: “Eu gostaria de ter força de vontade e auto-disciplina”? Quantas vezes você iniciou alguma coisa, para depois passado pouco tempo desistir? Certamente todos nós já tivemos experiências como estas.
Todos nós possuímos alguns vícios ou hábitos que desejaríamos superar, como o tabagismo, ingestão excessiva de comida e álcool, a preguiça, a procrastinação ou falta de assertividade. Para superar esses seus hábitos ou vícios, é preciso ter força de vontade e auto-disciplina. Estas virtudes fazem uma grande diferença na vida de todos, promovendo a força interior, auto-domínio e determinação.
Estes dois poderes ou virtudes, como quiser considerar, ajudam-nos a escolher o nosso comportamento e reacções, em vez de sermos governados por elas. A implementação deles no nosso carácter não irá permitir que a vida se torne monótona ou aborrecida. Pelo contrário, você vai sentir-se mais poderoso, responsável por si mesmo, feliz e satisfeito.
Quantas vezes você se sentiu muito fraco, preguiçoso ou com vergonha de fazer algo que você queria fazer? Você pode ganhar força interior, promover a iniciativa e a capacidade de tomar decisões e segui-las. Acredite em mim, não é difícil desenvolver estas duas potências. Se você for sincero consigo mesmo e estiver disposto a tornar-se mais forte, certamente vai ter sucesso.

DESENVOLVER FORÇA DE VONTADE E AUTO-DISCIPLINA
Um método eficaz para o desenvolvimento e melhoraria destas forças é executar determinadas acções ou actividades. Lembre-se que reforçando uma destas capacidades, automaticamente fortalece a outra.

Apresento alguns exercícios:

1 – Se você estiver em algum local que esteja sentado, no autocarro, no metro, no comboio ou sala de espera, se algum idoso ou grávida não tiver onde se sentar, levante-se e ofereça-lhe o seu lugar, mesmo que preferisse ficar sentado para sua conveniência. Não só porque é um acto educado, mas porque você está fazendo algo com dificuldade e incómodo. Desta forma, treinará a capacidade de superar a resistência do seu corpo, da mente e dos seus sentimentos.
2 – Existem pratos no lava loiça por lavar, e você decide adiar e lava-los mais tarde. Levante-se e lave-os na hora. Não deixe que a sua preguiça o vença. Quando você sabe que deste modo está a desenvolver a sua força de vontade, e tem consciência da importância da força de vontade na sua vida, será mais fácil para você fazer o que tem de ser feito.
3 – Você chega a casa cansado do trabalho e senta-se na frente da TV porque está cansado e com preguiça de ir tomar banho. Não deve obedecer à vontade de se sentar, e ir logo tomar um bom banho relaxante.
4 – Você pode reconhecer que o seu corpo necessita de algum exercício físico, mas vai continuar sentado sem fazer nada ou a ver um filme. Levante-se e vá caminhar, correr ou fazer algum outro exercício físico.
5 – Você gosta do seu café com açúcar? Então, durante uma semana inteira decida beber reduzindo o açúcar para metade. Você gosta de beber três cafés ou mais por dia? Durante 2 semanas reduza para metade.
6 – Às vezes, quando você tem impulso para dizer algo que não é importante ou que vai magoar alguém. decidia não dizê-lo.
7 – Todos temos tendência para ler notícias sensacionalistas e revistas cor de rosa. Não leia algumas dessas coisas sem importância durante uma ou duas semanas, mesmo que você queira.
8 – Você tem um desejo de comer algo não muito saudável. Recuse-se e decida não ceder ao desejo.
9 – Se você se encontra a pensar coisas sem importância, desnecessárias, negativas, tente não lhes dar atenção, pensando sobre a sua inutilidade.
10 – Superar a sua preguiça. Convencer-se da importância do que está a ser feito. Convencer a sua mente que você ganha força interior quando você decide fazer as coisas, apesar da preguiça, da relutância ou da resistência interna sem sentido.
Nunca se convença a si mesmo que não pode realizar os exercícios acima descritos, porque lhe parecem demasiado banais ou simples. Certamente pode conseguir realizá-los. Seja persistente, motive-se pensando sobre a importância da realização dos exercícios, e o poder e força interior que você vai ganhar.
A proposta destes exercícios tem fundamento.Você deverá começar com algo simples, que sejam relativamente fáceis de executar para evitar a desilusão.Depois gradualmente poderá aumentar o numero e a dificuldade dos exercícios. Com a prática você irá melhorar, aumentando a sua capacidade de auto-disciplina e decisão, transformando-se numa enorme satisfação.

Se você praticar musculação, correr ou fizer ginástica aeróbica, irá fortalecer os músculos, de modo que quando precisar mover ou transportar algo pesado, terá força para o fazer. Ao estudar todos os dias um pouco de francês, você será capaz de falar francês quando viajar para a França. Acontece o mesmo com a força de vontade e auto-disciplina, por fortalecê-las, elas tornam-se disponíveis para o seu uso sempre que precisar.

Bom fortalecimento!

Abraço.

AUTOR MIGUEL LUCAS

Licenciado em Psicologia, exerce em clínica privada. É também preparador mental de atletas e equipas desportivas, treinador de atletismo e formador na área do rendimento desportivo.

Fonte:
http://www.escolapsicologia.com/10-exercicios-para-melhorar-a-sua-forca-de-vontade-e-auto-disciplina/

domingo, 4 de agosto de 2013

25 FORMAS DE AJUDAR OUTRA PESSOA. AJUDANDO QUE SOMOS AJUDADOS!

"Se queres que os outros sejam felizes, pratica a compaixão. Se queres ser feliz, pratica a compaixão." A tendência na nossa sociedade tem sido para as pessoas estarem separadas umas das outras, estarem separadas da humanidade, estarem a cada passo a tornarem-se cada vez menos humanos.

Os carros tiraram-nos das ruas onde costumava-mos cumprimentar as pessoas, parar para conversar. Pequenas divisões retiraram um pouco de humanidade no trabalho, assim como de certa forma também o fizeram as empresas e os computadores. A televisão prendeu-nos nas nossas salas de estar, em vez de sairmos com outras pessoas. Até as salas de cinema, onde muita gente se junta, retira-nos a possibilidade de conversar porque estamos a olhar para um ecrã gigante. 

Enquanto não me estou a queixar contra algumas destas invenções (excepto talvez da sala minúscula no trabalho), o que devemos ter em conta é a tendência para o individualismo, para estarmos focados em nós mesmos e excluirmos outras pessoas. A tendência para estarmos a contribuir para o egoísmo em vez de darmos, de estarmos só a ajudar a nós próprios em vez de ajudarmos outras pessoas. 

Não estou a dizer que somos todos assim, mas podemos ser, se não formos cuidadosos.

Por isso lute contra o egoísmo e a ganância, ajude alguém hoje. Não na próxima semana, mas hoje.

Ajudar outra pessoas, apesar de poder trazer alguns inconvenientes, tem humildes vantagens:

1. Fará sentir-se melhor.
2. Ligue-se a outra pessoa, pelo menos durante um momento, ou até para toda a vida.
3. Melhore a vida de outra pessoa, pelo menos um bocadinho.
4. Faça do mundo um lugar melhor, um pequeno passo de cada vez.
5. Se a bondade for transmitida, pode multiplicar-se, e multiplicar-se.

Por isso guarde alguns minutos de hoje e faça alguma coisa boa por outra pessoa. Pode ser um gesto pequeno, ou o início de algo grande. Peça aos outros para fazerem o mesmo. Coloque um sorriso na cara de alguém.

Não sabe como começar? Aqui fica um lista extremamente incompleta, apenas para o deixar a pensar - tenho a certeza que se pensar no assunto que se lembrará de milhares de outras ideias.

1. Sorria e seja amigável. Às vezes algo pequeno como isto pode colocar um sorriso ou um sentimento caloroso no coração de alguém e fará desse dia um dia melhor. Talvez essa pessoa faça o mesmo pelos outros.

2. Contacte uma organização acerca de voluntariado. Não precisa de ir para uma cantina hoje. Arranje o número, faça a chamada e marque um compromisso para fazer voluntariado na próxima semana. Pode ser qualquer organização que queira. Voluntariado é uma das coisas mais fantásticas que pode fazer.

3. Doe algo que já não use. Ou uma caixa cheia de coisas. Deixe-as numa instituição de caridade - outras pessoas podem-lhes dar bom uso.

4. Faça um donativo. Existem várias formas de poder fazer donativos online a instituições ou na sua comunidade local. Em vez de comprar para si um novo gadget ou um vestido, gaste esse dinheiro de uma forma mais positiva.

5. "Redireccione" prendas. Em vez de ter pessoas a dar-lhe prendas de aniversário ou Natal, peça-lhes para doarem as prendas ou dinheiro a uma instituição.

6. Pare para ajudar. Da próxima vez que vir alguém apeado com um pneu furado, ou a precisar de qualquer tipo de ajuda, pare e pergunte de que forma pode ajudar. Por vezes o que precisam é apenas de um empurrão, ou usar o seu telemóvel. 

7. Ensine. Use algum tempo para ensinar alguma coisa que domine. Poderá ser a ensinar a sua avó a usar o email, ensinar o seu filho a andar de bicicleta, ensinar o seu colega de trabalho nalguma coisa que domine no computador, ensinar o seu companheiro ou companheira a limpar a casa de banho nojenta. OK, esta última não conta.

8. Conforte alguém em luto. Dê abraços, uma mão amiga, uma palavra carinhosa, esteja disponível para ouvir, será um longo caminho quando alguém perdeu uma pessoa que amava ou sofreu alguma perda ou tragédia semelhante.

9. Ajude a tomar uma atitude. Se alguém em luto parece perdido e não sabe o que fazer, ajude a tomar uma atitude. Poderá ser a tratar do funeral, a marcar uma consulta no médico, a fazer algumas chamadas. Não faça tudo sozinho - deixe-os fazer algo também, porque ajuda no processo de recuperação.

10. Compre comida para algum sem-abrigo. Dinheiro é sempre uma má ideia se for para ser usado em drogas, mas comprar uma sandwich e batatas fritas ou algo do género é um bom gesto. Seja respeitoso e amigável.

11. Ouça. Quase sempre quando alguém está triste, deprimido, zangado, ou frustrado apenas precisa de alguém que ouça. Disponibilidade e falar sobre algo é uma grande ajuda.

12. Ajude alguém no limite. Se alguém demonstra tendências suicidas, auxilie-o a arranjar ajuda. Se ela não o fizer, ligue você mesmo para uma linha de apoio ou um médico a pedir aconselhamento.

13. Ajude alguém a tornar-se activo. Alguma pessoa próxima que queira tornar-se mais saudável talvez precise de uma ajuda - ofereça-se para uma caminhada ou corrida, para irem para um ginásio juntos. Assim que essa pessoa começar, poderá ter efeitos importantes.

14. Elabore uma tarefa. Algo grande ou pequeno, como limpar ou lavar um carro, lavar a loiça ou cortar a relva.

15. Faça uma massagem. Apenas quando apropriado claro. Mas uma massagem poderá ir longe no que diz respeito a fazer alguém sentir-se melhor.

16. Envie um email simpático. Apenas uma pequena nota a dizer o quanto aprecia alguém, ou o quanto está orgulhoso, ou apenas a agradecer por algo que lhe fizeram.

17. Demonstre apreciação publicamente. Elogiar alguém num blog, em frente aos colegas de trabalho, em frente da família, ou noutra situação pública, é uma excelente forma de fazer os outros sentirem-se melhores.

18. Doe comida. Liberte a sua dispensa de coisas acumuladas ou compre um par de sacos de mercearia e doe esses sacos a algum sem abrigo.

19. Esteja por perto. Quando alguém que você conhece precisar, por vezes é bom estar próximo. Sente-se com essa pessoa. Converse. Ajude se conseguir.

20. Seja paciente. Por vezes as pessoas podem ter dificuldade a perceberem alguma coisa ou a aprenderem a fazer algo. Aprenda a ser paciente.

21. Seja tutor de uma criança. Isto talvez seja difícil nos dias que correm, mas talvez os pais possam contratar um tutor para o seu filho em dificuldades. Contacte uma escola e ofereça-se como voluntário para tutor.

22. Crie um pacote de ajuda. Sopa, material de leitura, chá, chocolate... qualquer coisa que ache que a outra pessoa possa precisar ou goste. Bom para alguém que esteja doente ou por exemplo a precisar que a vá visitar.

23. Empreste a sua voz. Muitas vezes os mais fracos, sem abrigos, negligenciados no nosso mundo, precisam de alguém que fale por eles. Não precisa de encarnar essa luta, mas juntar-se a outros numa petição, falar numa reunião, escrever cartas ou noutras circunstâncias que precisem de ser ouvidas. 

24. Ofereça-se para babysitter. Por vezes os pais precisam de uma pausa. Se um amigo ou outra pessoa querida não tem essa oportunidade muitas vezes, ligue-lhe e ofereça-se para babysitter. Marque um encontro. Poderá fazer uma grande diferença.

25. Amor. Simplesmente arranjar formas de expressar o seu amor por outras pessoas, seja o seu parceiro, filho, outro familiar, amigo, colega de trabalho ou um completo estranho.... apenas expresse o seu amor. Um abraço, uma palavra amiga, despenda algum tempo, demonstre alguma bondade, seja amigo... tudo interessa mais do que pensa.

"Ate onde esta pequena vela consegue lançar os seus raios
assim brilha uma boa acção neste mundo tenebroso". 
William Shakespeare

Autor: Antonio Carlos Piesigilli