domingo, 8 de setembro de 2013

Evolução Espiritual



Muita gente vem falando de evolução espiritual, mas que evolução é essa, o que seria realmente um ser evoluído, será que estaríamos falando de Deuses e Avatares como Jesus, Buda, Chrishna e Mitra ou de homens como Chico Xavier, João Paulo II, Papa Francisco, Madre Tereza de Calcutá.

Quando iniciamos nossa busca em prevalecer o espírito sobre a matéria, sempre nos perguntamos: “será que de agora em diante vou ter que virar Santo?”... Realmente, esta é uma pergunta muito difícil de responder, pois o limite do bom senso e do fanatismo é tênue por demais, e se não tomarmos cuidado, caímos no abismo da ignorância e loucura religiosa.

Acredito que para você viver bem consigo mesmo e conseguir a tão sonhada evolução espiritual, que tanto buscamos e precisamos, devemos seguir os caminhos da amizade, fraternidade, caridade, sabedoria, trabalho e perseverança, ou em outras palavras, vivermos de modo correto, ter os valores e condutas de um bom homem, valorizando o próximo, aspirar as coisas de forma harmoniosa, do que nem tudo que quero eu posso e principalmente, sabendo perdoar de forma que você não seja atingido pela maldade do rancor e da raiva.

Quando escrevemos sobre o assunto até que parece fácil, perdoar, ser um homem justo e correto com os demais, querer apenas aquilo que realmente necessitar, não ter pensamentos medíocres como a inveja, mas na verdade nada disso é fácil, estamos em guerra constante contra nossos pensamentos e atos, porém, vencer as batalhas diárias da opressão do mal é que nos diferenciará dos demais.

Não busco aqui falar de algo maior como a santidade do homem, que se quiser pode realmente conseguir, pois é feito a imagem e semelhança de Deus, mas sim de buscar o conhecimento do bem e das ações de amizade e fraternidade diária, lembrando sempre que gentileza gera gentileza.

Será que um belo sorriso, um gesto de amizade, uma ação de caridade, um gesto fraterno de respeito pelas pessoas, dividir aquilo que tem sobrando e de alguma forma nunca mais irá utilizar ou comer, estar atento aos pequenos detalhes que estão a sua volta, como um almoço em família, um braço em um filho, pai, mãe, esposa, irmão, amigo e se conseguirmos ir além disso, um domingo em um asilo ou hospital, acalmar sua alma e elevar seus pensamentos ao céu, talvez nossa tão sonhada evolução, e tudo isto não esteja na mais ampla visão de apenas uma palavra “SERVIR”.

Fraternalmente
Ir. Arlindo Chapetta

Nenhum comentário:

Postar um comentário