sábado, 27 de dezembro de 2014

ATÉ QUANDO, MEU DEUS?



ATÉ QUANDO, MEU DEUS?


Meu pensamento encontra-se em remoinho, movimento causado pelo cruzamento de ondas e ventos contrários. Circular e forte, se processa em espiral, como rajadas, pé de vento e tufão, causando-me sofrido questionamento. Não estou conseguindo mais saber o que é normal ou regular. Até quando, meu Deus?

Encontramo-nos em decepção pelos acontecimentos desonestos que fazem parte da rotina diária dos noticiários. Em foco agora, o escândalo da Petrobras.

O Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, declarou: “O escândalo na Petrobras é como um grande incêndio, que consome a empresa e que corrói as riquezas do Brasil”. Complementou: "Corruptos e corruptores precisam conhecer o cárcere e devolver os ganhos espúrios que engordaram suas contas, à custa da esqualidez do tesouro nacional e do bem-estar do povo. A corrupção sangra e mata". Prosseguiu: “O Brasil ainda é um país extremamente corrupto. Estamos abaixo da média global, rateando em posições que nos envergonham e nos afastam de índices toleráveis. Envergonha-nos estar onde estamos”. Resumiu: “Atribuo o ranqueamento do país a maus dirigentes, que se associam a maus empresários, em odiosas quadrilhas, montadas para pilhar continuamente as riquezas nacionais. Essas pessoas, na verdade, roubaram o orgulho dos brasileiros".

O juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Operação Lava-Jato, considera que existem indícios de que os crimes de corrupção e propinas "transcenderam a Petrobras". Ele demonstra perplexidade com a planilha de dados sobre cerca de 750 obras públicas, "nos mais diversos setores de infraestrutura, que foi apreendida com o doleiro Alberto Youssef".

Fomos obrigados no interior de nossas casas a ouvir uma frase que é verdadeira, mas agressiva aos bons princípios, pronunciada pelo advogado Mário Oliveira Filho, afirmando que: “A corrupção está presente em toda obra feita no País. Se não fizer acerto, não põe um paralelepípedo no chão”

Já o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal de Justiça, disse: "Nós falávamos que estávamos a julgar o maior caso, pelo menos de corrupção investigado, identificado. Mas nós falávamos de 170 milhões de reais, do mensalão”. Ao falar da Operação Lava-Jato ele alertou que é um caso de proporções bem maiores. "Estamos a ver que esse dinheiro está sendo patrimonializado.

Quando vemos uma figura secundária que se propõe a devolver 100 milhões de dólares, já estamos em um outro universo, em outra galáxia".

O Procurador da República, Hélio Telho Correa Filho, vai mais longe e me deixa mais perplexo: “Vamos ter um escândalo de corrupção ainda maior do que o da Petrobrás. E será no BNDES. Este pode ser 7 vezes maior que 'Petrolão' e 'Mensalão' juntos.

No Petrolão já são mais de R$ 70 bilhões de reais, e no 'possível próximo escândalo', são 500 bilhões em jogo”.

Tento me reequilibrar na minha avaliação e socorro-me de Suzana J. de Oliveira Carmo, em seu artigo “Corrupção: Uma explanação filosófica sobre uma onerosa e reincidente realidade humana”, quando descreve: “Conceitualmente, a corrupção pode ser entendida como atentado ou transgressão às normas, princípios e valores, tanto os jurídicos quanto os sociais. Em verdade, retrata uma violação mediata ou imediata ao organismo como um todo, configurando-se sempre em uma lesão. Retrata uma conduta gravosa, independentemente de sua ordem: social, econômica ou político-estatal.

Em sua representação denotativa, a corruptibilidade evidencia algo corrompido, desmoralizado, desacreditado, podre, estragado, pervertido, desnaturado, ou ainda, decomposto”.

Então estamos no fim do poço?

A própria presidente da República, Dilma Roussef, em café da manhã com jornalistas, na segunda feira, 22 de dezembro, admitiu: “É absurdo o volume de desvio de dinheiro em corrupção na Petrobras”. Disse ainda que a situação não é confortável, mas não tem como punir, mantendo a presidente da empresa Graça Foster, em seu cargo, pois “como tipificar uma ação sem provas”.

O professor e pensador Schwantes reconhece a fragilidade do caráter humano, sua tendência nata à deformação e, atribui à crise moral o sintoma mais flagrante da ausência generalizada de caráter e afirma: “São parasitos os que exploram a sociedade para benefício próprio, os que vivem à custa do Estado sem nada produzir, os que vegetam em lastimosa ociosidade. Tais indivíduos são como células cancerosas que roubam a vitalidade do organismo social”.

O título deste artigo nos conduz ao pensamento exposto pela coragem e competência do maçom Rui Barbosa. Leva-nos à verdade de um futuro triste e que deverá se desdobrar em elementos mais especializados na prática da corrupção e nos alerta para o tempo de hoje: “Cada um dos que vão chegando, se aduba dos outros; com eles se cruza e recruza, novas espécies lhe surgem do coito sutil; há hibridação em hibridação, de multiplicação em multiplicação, um mundo incalculável de malignidades se enxameia, os antigos colaboram com os recentes; do ajuntamento de uns e outros se vem gerando novos, pelo concurso destes com aqueles, crescem ao infinito, em número, em diversidade, em virulência aos contágios, às infecções, às pestes”.

A corrupção é um mal sociocultural, mas não pode significar que estejamos fadados à sua permanência, muito menos, que não possamos extirpá-lo. Moralidade e transparência política são caminhos a serem encontrados e percorridos, com uma sociedade consciente de seus direitos de cidadania, ciente de seu poder político para ser autora de uma reforma que impeça acontecimentos como este da Petrobras. Aprimorando nosso poder de escolha, conseguiremos êxito.

Abordarei no próximo artigo, o livro “A mais pura verdade sobre a DESONESTIDADE”, do escritor Dan Ariely, Editora Campos, que sugiro sua leitura, como o fiz e releio, para tentar saber sobre as causas da desonestidade e por que a desonestidade é tão interessante, e ai me reencontro em remoinho quando leio nesta obra, a frase que coloco em análise aos amigos de todos os sábados: “Tal como a média dos assaltantes, todos nós buscamos nossa própria vantagem enquanto avançarmos pelo mundo”.

Até quando, meu Deus?

*Barbosa Nunes é Grão-Mestre Geral Adjunto do Grande Oriente do Brasil

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Centenário do Rito Brasileiro


Criado em 1914 pelo Grão Mestre da Maçonaria Brasileira LAURO SODRE, e consolidado na década de 40 pelo Irmão ALVARO PALMEIRA, o RITO BRASILEIRO comemora 100 anos de existência.
Segundo as palavras de Palmeira: "A criação do Rito Brasileiro engloba uma história de ideais, enfatizando que "a Maçonaria é universal, mas o Maçom tem uma Pátria". Assim, o Rito Brasileiro vem atender as peculiaridades sócio-geográficas que influenciam o Maçom Rito Brasileiro."
 Hoje é segundo RITO mais praticado na Maçonaria Brasileira.

 
Mais informações no site do Rito:
http://www.ritobrasileirogob.com.br/portal/mnuhistoria.html

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

ELEVAÇÃO DA LOJA SAINT GERMAIN Nº 3208



No dia 1º de Dezembro de 2014, no Templo da A.R.L.S. Saint Germain nº 3.208, em Caxias do Sul foi realizada uma cerimônia de Elevação, onde receberam aumento de salário os IIr.'. Andre Calai e Alexandre Baldissera.

A sessão foi presidida pelo V.'.M.'. Paulo A. Gerstner e os VVig Sergio Spoldari (1º) e Luiz H. Machado (2º), além dos demais Oficiais em cargos. Logo após os Irmãos receberam os cumprimentos nesta nova etapa do crescimento e aprimoramento maçônico, orientados pelos Mestres da Loja.

Para marcar a data, os participantes confraternizaram e festejaram este importante evento para a Loja e para Maçonaria Gaúcha. O Grande Oriente do Brasil – RS cumprimenta todos os integrantes da Loja Saint Germain pelo trabalho desenvolvido em prol da Maçonaria e da Humanidade.

Fonte: GOB/RS

terça-feira, 4 de novembro de 2014

UM MAÇOM NA REFORMA POLÍTICA


 Em seu pronunciamento logo após a eleição, a presidente Dilma Rousseff, classificou como a primeira e mais importante das reformas que o Brasil precisa sofrer. Reforma política, desafio, necessidade imperiosa, sem a qual tudo continuará como antes.

O Congresso eleito está pulverizado com representações de 28 partidos na Câmara Federal e 17 no Senado, fora bancadas temáticas mais diversas, como ruralista, empresarial, evangélica e outras. O tema reforma política é discutido há décadas, porém o conflito de interesses impede o avanço com mudanças no mérito, ficando apenas em pequenas pinceladas que somente atendem aos detentores do poder político.

A presidente falou em plebiscito, o Congresso reagiu negativamente com declarações de sua “reserva moral e de conduta”, senador Renan Calheiros, discordando e se colocando à favor de um referendo. Qual é a diferença entre plebiscito e referendo?

Plebiscito significa uma consulta sobre determinada questão feita diretamente ao povo, por meio de votação do tipo “sim ou não”. Referendo é uma manifestação por meio de votação sobre determinada questão submetida à sua opinião. Ambos representam uma consulta popular para decisões de cunho social e político.

Levando-se em consideração o entendimento político, plebiscito é um tipo de consulta popular em que cada cidadão tem o direito de opinar antes que uma lei seja estabelecida, já o referendo, consulta o cidadão e pede para que ele opine sobre uma lei após ela ter sido elaborada e aprovada pelos órgãos do governo. Em resumo, plebiscito é uma convocação popular feita antes de a lei existir para que os órgãos governamentais possam elaborar a proposta e o referendo é uma consulta feita para o povo conferir ou rejeitar uma proposta já elaborada.

Uma e outra vão continuar arrastando a reforma pela lentidão que interessa à deputados e senadores, que muito pregam, mas não querem uma verdadeira reforma política, pois, esta eliminará seus privilégios em eleições e reeleições. Pelo Congresso Nacional, tramitam projetos há decênios, cada vez mais, lotando as gavetas.

A reforma política de caráter estrutural e abrangente não acontecerá originária de articulações políticas do executivo ou do Congresso, sobretudo, nesta próxima legislatura em que a base do governo federal foi reduzida e com o PMDB, como maior bancada, já mostrando as suas garras tradicionais de negociações como “toma lá, dá cá”. A presidente Dilma Rousseff terá , forçosamente, de alterar o seu relacionamento político com o Congresso, para ter relativa tranquilidade administrativa. Nestes dias pós-eleição, já teve derrotas na Câmara Federal, que prenunciam tormentas pelo futuro.

Somente teremos uma verdadeira reforma política nascida pela indispensável pressão popular, em não acontecendo, será mais uma vez sepultada.

Falo agora de um missionário maçom comprometido com os objetivos libertários e históricos do grande maçom que foi Gonçalves Lêdo. Marlon Reis, juiz de direito, maçom no Grande Oriente do Brasil - Maranhão, instituição muito bem conduzida e dirigida pelo Grão-Mestre Estadual, José de Jesus Billio Mendes, que reforçou a luta pela liberdade ao acolhe-lo como integrante da potência. É autor de livros como “Captação Ilícita de Sufrágio e Uso Eleitoral”, “Direito Eleitoral Brasileiro” e coordenador da publicação “Ficha Limpa”. O seu último livro que causou polêmica e repercussão no Congresso Nacional, adquirido em milhares de exemplares pelo povo brasileiro, tem o título de “Nobre Deputado - Relato chocante de como nasce, cresce e se perpetua um corrupto na política brasileira”, é uma ficção da mais pura realidade.

A partir do ano 2000, iniciou intensa campanha de educação cívica contra a compra de votos. Em 2002, fundou o “Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral – MCCE”. Idealizador e redator da Lei da Ficha Limpa, que impediu a participação e posse de muitos candidatos nesta última eleição, casos de Paulo Maluf, em São Paulo e Arruda, em Brasília.

Uma reforma eleitoral, que vá ao centro das questões, mexa no sistema de votação, transforme o modelo de financiamento de campanhas, conceda mais transparência ao processo e envolva o eleitor, é o que a opinião pública quer. Mobilização para mudança do sistema eleitoral brasileiro por meio de uma reforma política de iniciativa popular e não por plebiscito e referendo que não tem a participação do povo. 100 (cem) organizações e entre elas, o Grande Oriente do Brasil, estão neste movimento liderado por Marlon Reis. No próximo dia 15 de novembro, quando das comemorações dos 50 anos do Grande Oriente do Brasil - Maranhão, a liderança maior de nossa potência, Grão-Mestre Geral Marcos José da Silva, Grão-Mestre Estadual do Maranhão, Jose de Jesus Billio Mendes, outros Grão-Mestres do país e autoridades maçônicas, estarão dialogando com Marlon Reis, para a sequência desta caminhada que o país necessita.

Concluindo este artigo, transcrevo uma resposta do maçom Marlon Reis, em entrevista ao jornal “Estado de São Paulo”. “Primeiro conquistamos a primeira lei de iniciativa popular, contra a compra de votos. Essa lei já foi responsável pela cassação de aproximadamente 1.000 (mil) mandatários, sendo cinco governadores. Depois, veio a Ficha Limpa, que restringiu as candidaturas, retirando das eleições, políticos influentes e afetando centenas de pessoas. Agora o passo mais profundo, de mudança do próprio sistema político, nos três eixos, proibição da doação empresarial, transparência no processo eleitoral e liberdade de expressão para os eleitores, retirando das eleições o peso do poder econômico. As empresas são muito importantes para a nossa economia, mas não tem o que fazer na política. Proibindo sua presença entre os doadores, vamos permitir que os políticos cheguem aos seus mandatos sem dívidas de natureza econômica. Empresas não doam por caridade ou por ideologia. Doam em busca de contratos públicos privilegiados ou por temerem represálias.”

Conclamo a todos os maçons do Grande Oriente do Brasil que busquem conhecer as propostas do maçom e juiz de direito Marlon Reis, através de suas publicações.

Autor: Grão-Mestre Geral Adjunto Barbosa Nunes, para o Jornal Diário da Manhã, de Goiás, em 01/11/2014.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Missa Templária em 06/12/2014


Meus Caríssimos e Bem Amados Irmãos,

Recebam os meus mais sinceros votos de Luz Amor e Paz!!!
Anexo o Convite para que você venha participar da Missa Templária que será realizada no próximo dia 06/12, Na CATEDRAL Anglicana
Rua Comendador Elias Zarzur, 1239 – Santo Amaro – São Paulo

Irmãos, venham com os seus paramentos Maçônicos... Tragam o Estandarte de sua Loja, Seu Capítulo do Arco real, Loja de Mestre Maçom da Marca, Preceptórios, Priorados...
Cada um com os seu devidos paramentos...
Convidem seus familiares, seus amigos... Participem!!!
Toda a arrecadação será revertida em benefício para as creches que a Catedral Anglicana cuida...

Vamos mostrar que ainda somos capazes de ajudar o próximo, que nos importamos com a humanidade...
Comungar com você, sua família e seus amigos será uma enorme Honra para todos nós Cavaleiros TEMPLÁRIOS!!!

Se eu pudesse deixar algum presente à você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo a fora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito aquilo que é indispensável.

Além do pão, o trabalho.
Além do trabalho, a ação.
E, quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída...

EM NOME DE NSJC, Eu vos Saúdo!!!
Wagner Veneziani Costa
GRÃO-MESTRE DO GRANDE PRIORADO DO BRASIL DAS ORDENS UNIDAS, MILITARES, MAÇÔNICAS DE SÃO JOÃO, DE JERUSALÉM, PALESTINA, RODES E MALTA

Mais informações no website oficial
www.gpb.org.br

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Sessão de Geminação entre as Lojas do RER Rito Escocês Retificado em Paris-França.


Dia 13/10/2014 (2ªf) no Grande Templo da GLNF - Grande Loge Nationale Française, foi realizado  Sessão Magna da “Grande Loge Provinciale de Rouvray” (equivalente de um GO estadual federado ao GOB, como o GOSP por exemplo); Na Ordem do Dia, estava inscrita a Geminação de duas Lojas do RER - Rito Escocês Retificado, uma francêsa e uma brasileira.  Do lado francês, a  R.’.L.’. Le Centre des Amis n°1 da Province de Rouvray, de tradição histórica pois foi criada em 1793 e foi uma das fundadoras da GLNF em 1913, em cujo registro é a primeira loja.  Do lado brasileiro, a A.’.R.’.L.’.S.’. Novo Horizonte n 4185  GOB- Santa Catarina, Oriente de Camburiú, que foi a primeira loja consagrada para praticar o R.’.E.’.R.’. no GOB; No inicio da sessão magna, o TR GM Jean-Pierre Servel, GM da GLNF, acolheu solenemente o Soberano GMG do GOB Marcos José da Silva, acompanhado pelo Gr. Secr. Adjunto de Relações Exteriores Alfério Di Giaimo Neto e pelo Assessor Especial do GMG Egisto Rigoli; A sessão solene da Grande Loja Provincial de Rouvray foi dirigida pelo TR GM Provincial Thibaut Cayla, assistido pelo seu Député GM Provincial, o TRF Eliphas Almeida; Durante a cerimônia, o Past VM Frédéric Brunet, representando o VM Didier Huet da RL Le Centre des Amis, e o VM Ivens Frischknecht da ARLS Novo Horizonte trocaram simbólicamente os malhetes de VM e entregaram mutuamente as Cartas de Geminação das duas Lojas; Na sua alocução final, o GM Jean-Pierre Servel ressaltou sua gratidão ao GOB, pelo apoio recebido durante momentos de dificuldade e, em particular, ao Soberano GMG Marcos José da Silva e ao Eminente Ir Tullio Colacioppo, Gr. Secr. de Relações Exteriores do GOB, que a pesar de ausente, foi lembrado com muito carinho; Esta geminação é um marco importante nas relações de amizade e de reconhecimento entre a maçonaria simbólica e regular do Brasil e da França.

Fonte: www.redecolmeia.com.brwww.redecolmeia.com.br

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Augusta e Respeitável Loja Simbólica ATHENAS PESQUISA, SIMBOLOGIA E HISTÓRIA, n° 3913



No dia 02/10/2014, quinta-feira, às 20:00 hs, no Templo da Augusta e Respeitável Loja Simbólica ATHENAS PESQUISA, SIMBOLOGIA E HISTÓRIA, n° 3913, situado na Avenida da Saudade, 1259, bairro Ponte Preta, Oriente de Campinas, foi realizada Sessão Ordinária em Grau de Aprendiz figurando como Venerável Mestre o Irmão Álvaro Gomes  Martinatto. Ocorreram as filiações dos Irmãos Fábio Martins e Pedro Clemente Borges Tiago. O tempo de estudos foi preenchido pelo trabalho do Irmão André Vieira Filho sobre “O Absolutismo Europeu e a Reforma Religiosa”. A Oficina também foi agraciada com um exemplar do livro Colmeia Maçônica dos escritores, os Irmãos Joe Diwan e Fernando Tullio Colacioppo. Estiveram presentes as seguintes autoridades que prestigiaram a Sessão: Secretário Geral adj. de Previdência e Assistência do GOB Alexandre Hamparian, Coordenador Regional de Comunicação e Imprensa da 4ª Macrorregião do GOSP Daniel de Leão Keleti, Coordenador Distrital do GOSP Álvaro Gomes Martinatto, entre outras autoridades, Mestres, Companheiros e Aprendizes.

Fonte: www.redecolmeia.com.br

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Landmarks

 Isto é um assunto sobre o qual se pode escrever páginas e mais páginas. Isso só para definir o que é um “Landmark”.

Mais uma vez vou recorrer ao “Compendium” do ilustríssimo Ir.:Bernard Jones.

Landmarks podem ser definidos como “aquelas coisas que, sem a aceitação pela Maçonaria, a mesma deixa de ser a Maçonaria”.

Nos antigos tempos, citados na Bíblia, terras planas sem marcações evidentes, marcas (landmarks) de contornos e limites eram de grande importância, e grandes esforços eram feitos devido a necessidade de respeitá-los. O Deuteronômio XXVII, 17 menciona: “maldito aquele que remover as marcas (landmarks) de seu vizinho”. Provérbios XXII, 28 temos: “Não remover as antigas marcas (landmarks) que foram fixadas por seus pais”.

Portanto, é dessa idéia bíblica de algo que não deve ser removido, que o antigo conceito Maçônico foi erigido. Melhor do que a idéia de uma elevada quantidade de “marcas”, fixadas, das quais condutas devam ser tomadas e seguidas.

O termo “landmarks” é encontrado em todos os Graus Simbólicos, nos quais sempre é  mencionado a necessidade imperativa de obedecê-los.

Mesmo a Grande Loja Unida da Inglaterra, enquanto possuir o poder de ditar certas leis e regulamentos, deve estar sempre atenta para que os Antigos Landmarks sejam preservados.

Definições específicas podem ser dadas;

1-             Princípios que tem existido desde tempos imemoriais, em leis escritas ou não, os quais são identificados como a essência e forma da Ordem; os quais a grande maioria dos membros concorda, que não podem ser mudados, e os quais cada Maçom é compelido manter intactos, sob as mais solenes e invioláveis penalidades.

2-             Um limite fixado para checar qualquer inovação.

3-             Uma parte fundamental da Maçonaria que não pode ser mudada sem destruir a identidade da Maçonaria.



Usos e costumes já aceitos por longo tempo, NÃO são necessariamente Landmarks. Observando isso, muitas listas feitas por diversos autores Maçônicos, como exemplo Albert Gallatin Mackey, seriam reduzidas nos seus itens.

Sobre isso deve ser lido a Obra do nosso querido Ir.:Jose Castellani “Consultório Maçônico” onde é feito um “pente fino” sobre os 25 itens do Mackey, e de outros, e fica claro que, pelas definições obtidas, nem tudo que está lá, é Landmarck.

É uma pena que pessoas capazes como nosso Ir.;Castellani, tenha que primeiro morrer para depois ser reconhecido. A inveja e o egoísmo não tem limites (nem landmarks).



Finalizando, um escritor americano disse que “Landmarck é algo que, sem o qual, a Maçonaria não pode existir, e determina os limites até onde a Grande Loja Unida da Inglaterra pode ir. Alguma coisa na Maçonaria que a GLUI tem o direito de mudar, NÂO é um Landmark.

O teste é: poderia a Maçonaria permanecer essencialmente a mesma se algum particular princípio for removido?

Alfério Di Giaimo Neto - MI
Fonte: www.redecolmeia.com.br

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Palestra do Excelentíssimo Governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin.


Dia 10/09/2014 (4ªf) às 20h na Sede do GOSP, Rua São Joaquim, 457 – Liberdade – Capital, GEAP-SP http://www.geapsp.com.br/  Sessão Magna publica de palestra do Excelentíssimo Governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin, tema "seus planos para um segundo mandato de governo”, estando presente as autoridades maçônicas GM-GOSP Mario Sergio Nunes da Costa, GMadj.GOSP Benedito Marques Ballouk Filho, GM-GLESP Ronaldo Fernandes, e representante do GOP, Ir. Marcio França, Presidenta Estadual da Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul - FRAFEM-SP Siomara Regina Dragoni da Costa, entre outras autoridades.

Geraldo José Rodrigues Alckmin Filho (Pindamonhangaba, 7 de novembro de 1952) é um médico e político brasileiro. É o 35º e atual governador de São Paulo, cargo que ocupa pela terceira vez.

Nascido em Pindamonhangaba, Alckmin foi prefeito de sua cidade natal entre 1977-1982. Foi deputado estadual entre 1983-1987, e deputado federal entre 1987-1994. Entre 1995-2001 foi vice-governador, assumindo o cargo de governador em 2001, após a morte do então governador Mário Covas. Na eleição estadual de 2002foi reeleito, ficando assim inelegível para concorrer a governador na eleição seguinte.

Alckmin renunciou ao cargo em março de 2006, afim de concorrer à presidência na eleição do mesmo ano. Acabou indo para o segundo turno, sendo então derrotado pelo presidente Lula. Foi candidato na eleição municipal de São Paulo em 2008, tendo sido derrotado no primeiro turno. Em 2009 ocupou o cargo de secretário de desenvolvimento do estado de São Paulo, e nas eleições estaduais de 2010 foi eleito governador no primeiro turno, sendo o segundo governador da história a vencer a eleição no primeiro turno — na eleição anterior, José Serra tinha sido o primeiro a conseguir esse feito.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Tenha orgulho de ser Maçom!

O candidato quando é Iniciado, Elevado e Exaltado, fica enlevado com as “histórias” mostradas nos Rituais, baseadas na Bíblia. Fica encantado com os fatos enevoados ligando a Maçonaria com os acontecimentos Bíblicos. Fica convencido e soberbo de saber que, como Maçom, é um descendente direto dos construtores do Templo do Rei Salomão!

De Aprendiz passa para Companheiro e depois para Mestre e, raramente, pergunta quem planejou o Templo ou quem acompanhou todos os trabalhos feitos em ouro, prata e pedras preciosas. Quem esculpiu, quem decorou as obras de arte. Fica  plenamente satisfeito em saber que tudo foi feito por Hiram , que era o filho de uma viúva da tribo de Naftali.

Com o passar do tempo, ele lê alguns livros maçônicos idôneos, e fica assombrado e chocado ao aprender que, sem dúvida alguma, os atuais Maçons são descendentes dos construtores das catedrais, na Idade Média, da Inglaterra, Alemanha, França, etc, etc.

Seu panorama mental sobre a Maçonaria fica nublado, seu orgulho fica abalado e sua admiração, contentamento no seu curto sonho maçônico fica minimizado.

Isto é um retrato real e frequentemente ocorre!

O que deve ficar claro para todos nós é que os Maçons não são descendentes de simples trabalhadores. Nossos ancestrais não eram simples talhadores de pedras, pedreiros, escultores, etc. Eles eram os maiores artistas, especialistas em trabalhar e construir em pedras na Idade Média.

Poucos homens podem construir um galpão usando serrote, martelo e pregos. Mas, a maioria deles não consegue construir a sua própria moradia. Eles não sabem como ler uma planta. Eles nada sabem sobre resistência dos materiais. Eles nada sabem sobre códigos de construções. Para obter sua casa eles precisam empregar um arquiteto e um construtor, os quais tenham o conhecimento especializado requerido.

Hoje em dia nós temos a eletrônica e os computadores, mas na Idade Média, todo esculpido era obra da experiência e da habilidade manual. Não havia livros e desenhos especializados.

Mesmo hoje, as modernas construções dificilmente se igualam na beleza das proporções, no vigor, na suntuosidade e na magnificência das Catedrais, dos Castelos, dos Mosteiros, das Abadias feitas pelos Mestres Construtores dos quais a Maçonaria é descendente.

Pessoas simples não fariam esse tipo de construção, cuja estrutura, grandeza, resistência e beleza, desafiam os séculos, nas intempéries e nas guerras.

Nossa Ordem escolhe hoje em dia, os futuros Aprendizes, com bastante critério. Os construtores de Catedrais da Idade Média também procuravam e escolhiam aqueles que tinham conhecimento, caráter e habilidade para aprender. Quando se tornavam Companheiros, tinham orgulho de seu trabalho. Sabiam que não podia falhar e davam o melhor de si, por toda sua vida.

Não é este, para todos nós, o maior motivo de orgulho, em sermos descendentes desses homens especiais?


(livre tradução e adaptação da MAS - Bulletin 1951 - USA)
Alfério Di Giaimo Neto - MI

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

O QUE É O AMOR PARA AS CRIANÇAS - BARBOSA NUNES


Ao final deste artigo, crianças de 4 a 8 anos, em pesquisa feita por profissionais de educação e psicologia, responderam  : "O que é o Amor?".

Quando de minhas viagens para proferir palestras maçônicas e sobre o programa "Maçonaria A Favor da Vida-Contra as Drogas",  minha rotina é sempre adquirir livros nas livrarias dos aeroportos  e os dato com o registro do local em que me encontrava.

 Em julho de 2000, adquiri no aeroporto de João Pessoa-Paraíba, o livro de Léo Buscaglia - Editora Nova Era, intitulado com uma só palavra,  "Amor". Faço sua releitura nestes dias.

Tema atraente e que se renova em mim, sobretudo em momento que o mundo não tem espaço para o amor. Guerras às dezenas, milhares de vidas de homens, mulheres e crianças, cruelmente ceifadas pela disputa do poder entre os adultos.

Crianças que passam a não saber ou conhecer a dinâmica do amor, necessidade tão forte, que a falta dele afeta o crescimento e o desenvolvimento, isto quando não são mortos. O amor é criativo, nunca destruidor.

Léo Buscaglia diz: "A necessidade da convivência do amor é o principal objetivo da vida de uma pessoa. Com a falta do amor surgem neuroses e psicoses na idade adulta".

A violência está mudando o homem de bem, o trabalhador.O pai de família passa a ser refém destes tempos e aí se isola, quando pode, para se defender e viver. Os jovens isolados em seus mundos, falando e formando amizades virtuais, estão cada vez mais solitários.

Em outro trecho do livro "Amor",  o autor assim se expressa :"O ser humano amoroso deve se preocupar consigo, eis a primeira questão, como se quisesse dizer:Quanto melhor eu for, mais terei para dar. Quanto maior a compreensão que tiver, maior será minha capacidade de ensinar aos outros e de me tornar ser humano mais fantástico, bonito, extraordinário do mundo".

O homem não tem escolha a não ser o amor. Quando não o faz encontra suas alternativas na solidão, na destruição e no desespero.

"Santo Agostinho" fala que "A única pessoa que pode te amar verdadeiramente é Deus, porque o amor dos homens tem muitas falhas,  como ciúme, desconfiança, medo, raiva, discórdia, falsidade e interesse".

Já "São Paulo", no maravilhoso texto muito conhecido,  descreve o amor:"O amor é paciente, o amor é prestável, não é invejoso, não é arrogante, nem orgulhoso, nada faz de inconveniente, não procura o seu próprio interesse, não se irrita, nem guarda ressentimento. Não se alegra com a injustiça, mas rejubila com a verdade. Tudo desculpa, não crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais passará".

O amor das crianças é puro, sincero, desinteressado, e a inocência abençoada de crianças de 4 a 8 anos, em pesquisa, produziram as seguintes respostas, para a pergunta, "O que é o Amor?":

1 - "Amor é quando minha mãe faz café para o meu pai e toma um gole antes, para ter certeza que está do gosto dele".  (Danny,  6 anos)

2 - "Amor é quando mamãe vê o papai suado e mal cheiroso e ainda fala que ele é mais bonito que o Robert Redford".  (Chris, 8 anos)

3 - "Amor é quando você sai para comer e oferece suas batatinhas fritas  sem esperar que a outra pessoa te ofereça as batatinhas dela".  (Chrissy,  6 anos)

4 - "Amor é quando seu cachorro lambe sua cara, mesmo depois que você deixa ele sozinho o dia inteiro".  (Mary Ann, 4 anos)

5 - "Quando minha avó pegou artrite, ela não podia se debruçar para pintar as unhas dos dedos do pé. Meu avô, desde então, pinta as unhas para ela. Mesmo quando ele tem artrite".  (Rebeca, 8 anos).

6 - "Durante minha apresentação de piano, eu vi meu pai na platéia me acenando e sorrindo. Era a única pessoa fazendo isso e eu não sentia medo".  (Sindy,  8 anos)

7 - "Eu sei que minha irmã mais velha, me ama, porque ela me dá todas as suas roupas velhas, e tem que sair para comprar outras".  (Lauren,  4 anos)

 8 - "Amor é como uma velhinha e um velhinho que ainda são muito amigos, mesmo conhecendo há muito tempo".  (Tommy, 6 anos)

9- "Quando alguém te ama, a forma de falar seu nome é diferente".  (Billy, 4 anos)

10- "Há dois tipos de amor, o nosso amor e o amor de Deus, mas o amor de Deus junta os dois".  (Jenny, 4 anos)

11 - "Se você quer aprender a amar melhor, você deve começar com um amigo que você não gosta".  (Nikka, 6 anos)

12 - "Não deveríamos dizer eu te amo a não ser quando realmente o sintamos, e se sentimos, então deveríamos expressá-lo muitas vezes. As pessoas esquecem de dizê-lo." (Jéssica,  8 anos)

13 - "Amor é quando alguém te magoa, e você, mesmo muito magoado, não grita, porque sabe que isso fere seus sentimentos." (Mathew, 6 anos).

É preciso confiar e acreditar no amor, pois é o único caminho para a vida de uma humanidade mais amorosa. Posso,  neste artigo,  ser criticado por alguns como um sonhador e estar enfocando um vocábulo muito expressado e pouco praticado, pois o amor e as práticas do mundo real parecem estranhos, separados.

O livro "Amor",  que sugiro sua leitura, conclui nosso artigo, com a firmeza de um grito: 

"Crucificaram Jesus, deram um tiro em Gandhi,  decapitaram Thomas More e envenenaram Sócrates. A sociedade tem pouco espaço para a honestidade, a ternura, a bondade. É o jeito do mundo."

Para mim, o Amor encontra-se nas respostas dessas crianças de 4 a 8 anos.

---------------------
Artigo 186 do Grão-Mestre Geral Adjunto, Barbosa Nunes, para o Jornal Diário da Manhã, de Goiás, edição de 30 de agosto de 2014.
Fonte: http://gob.org.br/index.php?c=4827

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

SOBERANO GRÃO-MESTRE CONCEDE ENTREVISTA FALANDO ESCLARECENDO A RESPEITO DE INTERVISITAÇÃO


Soberano Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil, Ir. Marcos José da Silva, concede entrevista a Rede Colméia, onde esclarece sobre as pranchas recentemente encaminhadas por ele às lojas jurisdicionadas ao GOB, com o tema de regularidade, reconhecimento, intervisitação, bem como as associações regionais de lojas recentemente criadas.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Reconhecimento, A Chave para o Progresso


O “Reconhecimento” é um dos fatores de sucesso mais importantes para nós mortais. Pouco adianta atingirmos um determinado sucesso se não formos reconhecidos. Há até aquela piada de que um sujeito vivia solitário numa ilha e salvou a Sharon Stone de um naufrágio, ficando sozinho com ela na ilha por duas semanas. Depois desse tempo, ele pediu a ela que se vestisse de homem e desse a volta na ilha. Encontraram-se do outro lado da ilha e ele virou-se para ela (vestida de homem) e disse: - Zé! Você não vai acreditar no que eu vou lhe contar. Estou sozinho numa ilha com a Sharon Stone! Estar com a Sharon Stone numa ilha, sozinho, poderia ser muito bom, mas era preciso que alguém soubesse disso, isto é que alguém “reconhecesse” aquele feito.

Da mesma forma em nossa Ordem. É preciso que membros quebrem o silêncio do “elogiar”, de “reconhecer méritos” nos membros. Temos a tendência de repetir comportamentos que nos são positivamente reforçados e o valor do reconhecimento está justamente aí. Quando “reconhecemos” um valor, esse valor tende a multiplicar-se tanto para a pessoa que foi alvo de nosso reconhecimento quanto para as demais. Assim, o reconhecimento é fundamentalmente importante para o sucesso pessoal e maçônico de qualquer um de nós. Um “muito obrigado”, um bilhete de reconhecimento, uma carta, um cumprimento sincero valem muito e nós sabemos disso. Temos que perder o medo de agradecer e reconhecer nos outros pessoas que nos auxiliam e nos ajudam a obter o que queremos. Ninguém vence sozinho. Sabemos disso. E se sabemos disso deveremos também saber “reconhecer” isso com ações concretas de “reconhecimento” e gratidão.

Vejo pessoas que têm medo de elogiar. Quando uma pessoa só é cobrada pelos seus erros, acaba isolado e vai desenvolvendo uma auto-estima baixíssima e os erros e a inércia começam a se multiplicar até que a pessoa começa a acreditar não ser capaz de acertos até mesmo nas coisas mais simples.
Faz parte também do reconhecimento dar crédito a quem realmente merece. Assim, também tenho visto “líderes” que “furtam” idéias de seus “subordinados” dizendo serem aquelas idéias de sua propriedade ao invés de creditá-las ao verdadeiro autor. Um chefe que tem o hábito (sic) de furtar idéias de seus subordinados ou até não pô-las em prática, acabará ficando isolado, pois que nenhum de seus colaboradores virá com idéias novas com o medo de tê-las furtadas ou censuradas pelo líder. Por incrível que possa parecer essa é uma prática muito comum de líderes inseguros que não compreendem que sua liderança será a cada dia mais valorizada quanto mais suportada pelo seu companheiros de colunas. Há “tempos atrás”, um “líder” “precisava” “bajular” seus superiores para manter-se no cargo (Ainda podemos ver muito isso hoje em dia). Hoje precisamos mudar essa realidade se desejarmos uma Maçonaria mais Forte e Justa. Mais Palavras e menos Medalhas!!!!


Texto de Luiz Marins - Antropólogo, autor de livros sobre Motivação e Gestão, adaptado por Marcello Borinato

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Loja Quatuor Coronati

Esta Loja, registrada sob o nº 2076 na Grande Loja Unida da Inglaterra, tem o orgulho de manter o lugar de primeira Loja de Pesquisa Maçônica do mundo. Está localizada em Londres e seus membros são todos reconhecidos como sendo os mais notáveis conhecedores de assuntos sobre Maçonaria.

Os tratados, os artigos da Loja, ou seja, os “Arts Quatuor Coronatorum” são totalmente aceitos como os mais competentes no assunto. Há um Circulo de Correspondentes no mundo todo

A Loja tem também prestado enorme serviço à Ordem através de publicações  de cópias exatas de importantes manuscritos, os Old Charges, etc.

Os “quatuor coronati” (os quatro mártires coroados, apesar de que na verdade eram nove (09) na estória relatada) tem sido por longo tempo considerados como os Santos Patronos da Ordem Maçônica.

A breve estória sobre eles é a seguinte: o Imperador Dioclesiano visitou as pedreiras de Pannonia onde haviam quatro profissionais altamente qualificados na “Arte de Esquadrejar Pedras”. Eles eram Cristãos e mantinham isso em segredo, fazendo todos seus trabalhos em Nome do Senhor. A eles foi unido um outro profissional, de igual comportamento, inspirado no exemplo dos outros quatro.

Esses trabalhadores recusaram os pedidos do Imperador de fazerem uma estátua do deus pagão Aesculapius. Foram martirizados sendo colocados em caixões de chumbo e jogados no rio.

Dioclesiano tinha um Templo erigido a esse deus pagão e ordenou a seus soldados de fazerem oferendas a esse deus. Quatro soldados também cristãos se recusaram e, consequentemente, foram martirizados por açoitamento até a morte.

Alguns anos mais tarde, uma Igreja foi erigida e dedicada aos “Quatro Mártires Coroados” (Four Crowned Martyrs), apesar de comemorarem o total de nove mártires.

A referencia de estarem sendo “coroados” se presume estar  ligado com o dito popular “a coroação do mártir”  dando a entender as ricas gratificações para todos aqueles que morrem pela fé.



Alfério Di Giaimo Neto - MI
Fonte: www.redecolmeia.com.br

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

GRÃO-MESTRE GERAL ABRE SEMANA DE COMEMORAÇÃO AO DIA DO MAÇOM EM CAMPINAS

O Soberano Irmão Marcos José da Silva, Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, abriu a semana em comemoração ao Dia do Maçom, em Campinas - São Paulo, na Loja "Inconfidência 3º Milênio", com o tema: "O Maçom e a Maçonaria Regular no Mundo".

Versou sobre regularidade, explicando de forma simples e objetiva os esforços empreendidos pelo Poder Central, pelos Grandes Orientes Estaduais e pelas Lojas Federadas, o que foi reiterado através das pranchas 110 e 112 a respeito das regras  de intervisitação.

Sessão realizada no dia 18 de agosto no templo em conjunto com as Lojas  "Nova Ordem do Século", quando seus Veneráveis Mestres, irmãos João Hermes Marques de Toledo e Márcio Rogério Barbosa receberam o Soberano Grão-Mestre, em nome das Lojas de Campinas.

Entre os mais de 100 irmãos presentes estavam os Secretários Gerais da cidade de Campinas Eminentes irmãos Antonio Gavioli (Secretário Geral de Gabinete), Ronaldo Fidalgo Junqueira (Secretário Geral de Administração e Patrimônio), os Poderosos irmãos Edison Barsanti (Secretário Geral de Educação e Cultura Adjunto), Antonio Augusto Pires de Oliveira (Secretário Geral de Gabinete Adjunto), Alexandre Arthur Hamparian (Secretário Geral de Previdência e Assistência Adjunto), Poderoso irmão José Emílio Coelho Chierighini, membro do Conselho Federal . Os Deputado Federais, Poderosos irmãos Renato de Freitas, Ciro Henrique Possidônio, José Augusto Moreira Lema, Venâncio Lopes, Antonio Salmasi, José Meneghini, Sérgio Bertagnoli. Decano do Conselho Estadual, Venerável irmão Sinval Roberto Dorigon. Os Deputados Estaduais, Veneráveis irmãos Jomar Rodrigues Soares e Marcionílio Gondim Filho. Secretários Estaduais Adjuntos, os ilustres irmãos Osmar Luis Armiato (Ritualística) e Reinaldo Shishido (Entidades Paramaçônicas). Presentes também os Veneráveis Mestres Gabriel Kfouri, Artur Trindade Costa, Nestor Rodrigues da Silva, Alvaro Gomes Martinatto, Vagner Braga, Ramon Cobra, Gercindo Zarpelon, Flavio Paci, André Vieira Filho, Nelson Cesar Tavares da Costa, Flavio Minori, Márcio Barbado.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Maçom do GOSP, Rodrigo Cardoso, Assume o mais Alto Posto da Ordem DeMolay Brasileira

Em 28 de maio de 1994, o Rodrigo Cesar Cardoso iniciava na Ordem DeMolay, sem imaginar como aquele dia mudaria para sempre sua vida. Com uma longa jornada, repleta de desafios e conquistas, foi Mestre Conselheiro do Capítulo Luz do Oriente n. 230, Mestre Conselheiro Regional e Mestre Conselheiro Estadual de São Paulo, 1999, quando foi o jovem responsável por liderar todos os DeMolays Bandeirantes. Ainda, organizou dois Congressos Estaduais da Ordem DeMolay Paulista, fundou a primeira Távola da Ordem dos Escudeiros em São Paulo ( Organização para jovens de 7 a 11 anos )e foi fundador da Associação Alumni 9 de Julho, em 2001, responsável por congregar os DeMolays Seniores de São Paulo.

Iniciando na Maçonaria em 14 de maio de 2005, na A.˙.R.˙.L.˙.S.˙. Fraternidade Universitária Luz do Oriente nº 3559 , jurisdicionadas ao Grande Oriente de São Paulo - GOSP. Seguindo sua caminhada na Ordem DeMolay já como Maçom, chegou a ser o primeiro Ex-Mestre Conselheiro Estadual de SP a chegar ao posto de Grande Mestre Estadual da Ordem DeMolay de São Paulo. Liderando um Grande Capítulo Estadual composto de mais de 3.500 DeMolays Ativos, mais de 1.000 seniores e maçons atuantes. Implementou durante a sua administração um programa de treinamento e capacitação, estreitou os laços da Ordem DeMolay paulista com o GOSP e certificou a Administração do Grande Capítulo de São Paulo com o ISO 9001, sem nenhuma não conformidade.

"Os ensinamentos que obtive dentro da Maçonaria, somados aos valores e virtudes apresentadas pela Ordem DeMolay, foram fundamentais para complementar minha formação moral, me desafiando a ser sempre um homem, um cidadão, um marido e um pai melhor. E as grandes lideranças que conheci no Grande Oriente de São Paulo foram verdadeiras inspirações e exemplos", afirmou o Rodrigo Cardoso.

E nos dias 25, 26 e 27 de julho desse ano, quando completou 20 anos de trabalhos ininterruptos à Ordem DeMolay, assumiu, durante o Congresso Nacional da Ordem DeMolay Brasileira, realizado na belíssima cidade de Porto Velho - Rondônia, o posto de Grande Mestre Nacional do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil/SCODB. Propondo uma administração focada em meta, gestão e resultado, desejando implementar as ações necessárias para tornar a Ordem DeMolay no Brasil ainda mais forte. Tendo como lema para essa gestão: "Juntos Pelo SCODB que queremos", destacando assim, que o SCODB deve ser um reflexo dos sonhados e ideais de todos os DeMolays do Brasil.

Texto: Comissão de Comunicação do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

VAMOS FAZER A DIFERENÇA: SANGUE É VIDA, DOE E SALVE A SUA

Campanha realizada pelo Grande Oriente de São Paulo
Essa Campanha tem a finalidade de despertar na consciência do maçom, seus amigos e familiares, a importância de um gesto simples e de amor ao próximo, que é a doação de sangue. Não demandando grandes recursos, e nem tampouco dispêndio excessivo de tempo, contando com o apoio da Grande Secretaria de Entidades Paramaçônicas e das Grandes Secretarias de Comunicação e Imprensa, Relações Internas e Política, expandiremos a campanha para a área empresarial e governamental. Ademais, além da finalidade de conscientização também teremos um banco de dados dos doadores e organizadores, que servirão como auxílio à Pasta da Previdência e Assistência para apoios futuros e chamadas para doação em favor de maçons e familiares que estejam necessitando.
Com a campanha aumentaremos o efetivo de Irmãos e amigos imbuídos nas ações de responsabilidade social e passaremos a ter uma equipe forte e coesa nas futuras ações de cunho social.
Ação:
Mobilizar os Maçons, Entidades Paramaçônicas, bem como integralizar as Secretarias do Grande Oriente de São Paulo, angariando voluntários para a doação de sangue. Podendo-se ainda estender a ação a outros públicos como, familiares de maçons, entidades Civis e apoio das Polícias Civil e Militar, bem como outras Instituições e empresas públicas e privadas.
Período:
A Campanha ocorrerá no período de uma semana compreendida nos dias 08 a 13 de setembro de 2014, devendo cada Loja ou Entidade coletar os dados da campanha e dos doadores, levando em consideração: o número de Maçons e Amigos, distribuição geográfica, condições do "parceiro coletor" e outros fatores que julgar relevante.
Banco de Sangue e Hemocentros
Existem normas que regulam a coleta, armazenagem e transporte de sangue humano. Por isso, é imperioso que haja a parceria com uma entidade devidamente autorizada a realizar o procedimento.
Esse parceiro será responsável pela coordenação da coleta e destinação do material. Nesse viés, torna-se necessário verificar antecipadamente qual a capacidade de coleta do mesmo, para não haver problemas no dia, podendo inclusive dividir os voluntários em grupos menores durante vários dias, de acordo com a capacidade do local, sendo esse, um fator determinante na duração da campanha. 
Alguns hemocentros disponibilizam a possibilidade de comparecer ao local indicado pela equipe de voluntários, podendo ser em uma escola, Loja ou outro local indicado, porém há a necessidade de se ajustar as condições pré-estabelecidas pelos coletores.
Comunicação e Divulgação:
O sucesso desse tipo de mobilização depende muito da divulgação prévia, tanto em termos de exposição, quanto de esclarecimento.
Disponibilizaremos assim, no portal do GOSP, os materiais de divulgação para os voluntários produzirem as peças que considerarem mais adequadas. Estarão disponíveis: a arte para confecção de banners, faixas, cartazes, para veiculação nas lojas, empresas, entidades, redes sociais e imprensa local, se for o caso.
Como sugestão, propomos os seguintes meios de comunicação: murais; intranet; reuniões das Coordenadorias; jornais e boletins do Gosp; camisetas; internet, redes sociais, banners; e outros.
Cada Loja ou capítulo deverá ter um responsável pela coleta dos dados e dos doadores, devendo este estar em contato direto com os Secretários de Previdência e Assistência ou Gabinete do Grão Mestre, para dirimir qualquer dúvida.
Da nossa parte expediremos ofícios a entidades Civis e Militares, além da sociedade empresarial e Civil, solicitando o apoio para estes se engajarem na campanha, bem como expediremos ofícios as secretárias de saúde a fim de que os hemocentros se sensibilizem e abram suas portas ao maior número possível de voluntários.
Requisitos para Doação:
• » Estar em boas condições de saúde;
• » Ter entre 16 e 67 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, clique para ver documentos necessários e formulário de autorização);
• » Pesar no mínimo 50kg;
• » Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);
• » Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação);
• » Apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).
Impedimentos temporários
• » Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas;
• » Gravidez;
• » 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana;
• » Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses);
• » Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
• » Tatuagem nos últimos 12 meses;
• » Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses;
• » Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são estados onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses estados deve aguardar 12 meses;
Impedimentos definitivos
• » Hepatite após os 11 anos de idade; *
• » Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas;
• » Uso de drogas ilícitas injetáveis;
• » Malária;
• * Hepatite após o 11º aniversário: Recusa Definitiva; Hepatite B ou C após ou antes dos 10 anos: Recusa definitiva; Hepatite por Medicamento: apto após a cura e avaliado clinicamente; Hepatite viral (A): após os 11 anos de idade, se trouxer o exame do diagnóstico da doença, será avaliado pelo médico da triagem.
Banner da Campanha:



quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Vaidade Maçônica

Como diria Caetano : É que Narciso acha feio o que não é espelho !! E Maçonaria infelizmente não é diferente.

Entre os vícios combatidos na Sublime Ordem, está a VAIDADE, pois é, quem diria..... Logo o maçom acostumado ao nem nu e nem vestido, levado a reflexões filosóficas sobre tal estado material.

Mas a Maçonaria tem algo que não concordo, principalmente nas cores e ilustrações de aventais e colares; deveríamos vestir somente o puro, o do aprendizado, pois a senda maçônica não é essa ? do eterno aprendizado ?

Existem vários irmãos que ao iniciar já pensam em quando irão ocupar o trono de Salomão, e quando o ocupam viram donos de loja, sem ouvir ou mesmo submeter sua vontade em detrimento da harmonia geral.

Mas o que leva o maçom a caminho da vaidade ? A própria Maçonaria ? ou o seu entendimento daquilo que seja humildade e fraternidade ?

Muito bem, tenho minha própria tese sobre isso:
1º - Não entendeu o propósito maçônico
2º - Não entendeu que dentro de loja, não existem patentes, títulos profanos e muito menos riqueza.
3º - Vestir um avental não quer dizer que seja um verdadeiro maçom, seu lugar não é ali.
4º - Irmãos cometem erros, de pequena ou de grande proporção, cada qual deve ser julgado de forma verdadeira e imparcial, não importa que seja Delegado, Juiz, Deputado, Prefeito ou sei lá o que.
5º - A justiça está para todos, maçons ou não !! é um direito de todo cidadão !! ser maçom não quer dizer intocável, já foram punidos vários e ainda muitos deverão ser punidos, não só pela ordem, mas pela justiça comum a todos.

Porém, se o mundo fosse perfeito, para que existiria Maçonaria ? não teria razão para existir, só que isso não é desculpa para empáfia.

Participar de Maçonaria não fez e não fará ninguém melhor do que ninguém; a diferença está em compreender o designios do GADU e transformar.


terça-feira, 19 de agosto de 2014

MAÇONARIA BRASILEIRA EM BRASÍLIA


O Grande Oriente do Brasil é o órgão máximo da maçonaria brasileira, fundado em 17 de junho de 1822, como registrado está em sua constituição, reuniu-se em Brasília, de 13 a 16 de agosto em Suprema Congregação da Federação, órgão das maiores decisões da instituição.

Quanto a Maçonaria, há muita desinformação, uns por se portarem exclusiva e injustamente contra , outros por não estudá-la, emitindo opiniões sem nenhum amparo e fundamento.

De caráter universal, seus membros cultivam os princípios de liberdade, democracia, igualdade, fraternidade e aperfeiçoamento intelectual. É uma sociedade fraterna que admiti homem livre e de bons costumes, sem distinção de raça, religião, ideário político ou posição social, mas exige crença em um princípio criador, Grande Arquiteto do Universo - Deus.

É usual iniciar esclarecimentos sobre a maçonaria, afirmando que é filosófica, filantrópica, educativa e progressista. Filosófica porque em seus atos e cerimônias trata da essência, propriedades e efeitos das causas naturais, investigando as leis da natureza relacionadas às bases da moral e da ética. Filantrópica porque não está constituída para obter lucro pessoal de nenhuma classe, seus recursos se destinam ao bem estar do gênero humano. Progressista, partindo da imortalidade e da crença em uma origem criadora regular e infinita, incentivando o esforço dos seres humanos na busca senão da verdade.

"Sir Oscar Newton", disse há muitos anos, "A maçonaria não é uma obra exclusiva de uma época, pertence a todas as épocas e, sem aderir a nenhuma religião, encontra verdades em todas elas. Não se apoia senão em dois sustentáculos extremamente simples: o amor à Deus e o amor ao homem, que leva em si a divindade e caminha para ela."

O escritor Hélio Moreira, membro do Conselho Federal do Grande Oriente do Brasil, sobre a liberdade para os maçons, assim se expressa, ?A liberdade, para nós maçons, é o fundamento da moralidade e esta é o alicerce das nossas ações, permitindo ou até facilitando que ele, o maçom, ocupe posição de relevo perante a sua sociedade; esta posição carrega em seu bojo uma carga de obrigações que o demanda a compor com os elos desta corrente institucional maçônica que está constituída há muitos séculos e que resistiu à prova do tempo?.

Liberdade, Igualdade e Fraternidade nasceram junto com os iluministas da Revolução Francesa, pois diversos deles se filiaram às lojas maçônicas para terem um lugar seguro, intelectualmente livre e apropriado para discussão de suas ideias libertárias. A maçonaria, com certeza, contribuiu com o iluminismo e este também, com a difusão das ideias maçônicas, lema adotado pela instituição, conforme as aspirações do povo maçônico. É comprometida e não opõe a nenhum obstáculo ao esforço na busca da verdade. Muitos a entendem enganadamente como religião. Não é religião. É sociedade que tem por objetivo unir os homens entre si, combatendo a ignorância, vício, discórdia, dominação e privilégios.

Em síntese, apenas com abordagens mínimas para chegar ao evento denominado Suprema Congregação Maçônica da Federação - 2014, em encerramento nesta data na Capital Federal, quando temas de importância para a sociedade brasileira, para a instituição maçônica e para o momento em que o país vive, foram discutidos com profundidade, culminando com um posicionamento através de uma "Carta da Suprema Congregação", que é o órgão maior e plenário das grandes decisões do Grande Oriente do Brasil, como aconteceu em toda a história do país e, agora, com o posicionamento do órgão de mais alto nível da Ordem.

Fazem parte da Suprema Congregação Maçônica, que se reune uma vez por ano, a partir da dignidade maior e líder na caminhada, Soberano Grão-Mestre Geral Marcos José da Silva, Soberano Grão-Mestre Geral Adjunto Eurípedes Barbosa Nunes, Assembleia Federal Legislativa pelo seu presidente atual Ademir Cândido da Silva, pelo presidente atual do Supremo Tribunal Federal Maçônico Wanderley Salgado de Paiva, Procurador Geral de Justiça Antônio Adonel de Araújo e pelos líderes regionais de cada Oriente Estadual presentes assim nominados, deraldo Pereira de Oliveira (Paraíba), Antônio Ernani Martins (Tocantins), Amintas de Araújo Xavier (Minas Gerais), Américo Pereira da Rocha (Espírito Santo), Evilásio Teixeira de Carvalho (Grão-Mestre Adjunto da Bahia), Divino Carlos Gouvea (Roraima), Daury dos Santos Ximenes (Pernambuco), Dalmo Wilson Louzada (Paraná), Luís Carlos de Castro Coelho (Goiás), Francisco José de Sousa (Piauí), Lucas Galdeano (Grão-Mestre Adjunto do DF), José Augusto de Araújo Rodrigues (Acre), José de Jesus Bíllio Mendes (Maranhão), José Anízio de Araújo (Ceará), Juraci Jorge da Silva (Rondônia), Júlio Tardin (Mato Grosso), Jorge Colombo Borges (Rio Grande do Sul), Lourival Mariano de Santana (Sergipe), Mário Sérgio Nunes da Costa (São Paulo), Raimundo Farias (Pará), Wagner Sandoval Barbosa (Santa Catarina), Carlos Cesar Batista Sousa (Amazonas), Benilo Alegretti (Mato Grosso do Sul), Delegado do GOB do Amapá Valdim Pereira de Sousa e o Secretário de Gabinete do GOB, Antonio de Deus Gavioli Junior.

Grande Oriente do Brasil que lutou e consolidou a Independência do Brasil, atento está e atua com o equilíbrio e serenidade, através de suas Lojas, Grandes Orientes Estaduais e Poderes e esta Congregação Maçônica, foi o plenário de posicionamentos muito importantes, para a Instituição e o Brasil.
---------------------------------
Artigo do Sapientíssimo Irmão Barbosa Nunes, advogado, ex-radialista, membro da AGI, delegado de polícia aposentado, professor e maçom do Grande Oriente do Brasil - barbosanunes@terra.com.br.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

SUPREMA CONGREGAÇÃO NO GRANDE ORIENTE DO BRASIL – 2014




De 13~16 de agosto de 2014 ocorreu a SUPREMA CONGREGAÇÃO NO GRANDE ORIENTE DO BRASIL – GOB: Art. 191. Compete à Suprema Congregação da Federação: I – propor a definição da posição do Grande Oriente do Brasil perante as políticas públicas; II – discutir e propor soluções sobre assuntos maçônicos de interesse regional dos Grandes Orientes Estaduais e do Distrito Federal; III – discutir e propor soluções sobre assuntos maçônicos de interesse nacional do Grande Oriente do Brasil; IV – propor métodos para resolução de problemas administrativos da Maçonaria nos Municípios, nos Estados, no Distrito Federal e na Federação; V – propor o estabelecimento de metas para o crescimento das Lojas incentivando as iniciações; VI – incentivar a política de assistência social a Maçons e não-maçons; VII – recomendar a participação da Maçonaria nas entidades representativas da educação, saúde, segurança, meio-ambiente e infra-estrutura; VIII – recomendar e incentivar a participação da Maçonaria nos movimentos em defesa da vida, da ética, da moral, dos bons costumes, da soberania nacional e contra a miséria, corrupção, drogas e assemelhados. Art. 192. Nas convocações das reuniões da Suprema Congregação da Federação feitas pelo Grão-Mestre Geral, este elaborará as pautas. Art. 193. Nas convocações das reuniões da Suprema Congregação da Federação feitas por metade mais um dos seus membros, estes elegerão comissão para elaboração da pauta. Art. 194. As proposições do plenário da Suprema Congregação da Federação obrigam os vencidos ao seu cumprimento. Parágrafo único. O quorum exigido para a deliberação sobre as proposições é de dois terços dos membros da Suprema Congregação da Federação. Art. 195. As proposições e recomendações decididas favoravelmente pela Suprema Congregação da Federação serão encaminhadas pelo Grão-Mestre Geral às autoridades e instituições a que se destinam, respeitadas as competências constitucionais. Participaram, Marcos José da Silva – Grão–Mestre Geral do GOB, Eurípedes Barbosa Nunes – Grão-Mestre Geral Adjunto do GOB, Ademir Cândido da Silva – Presidente da Soberana Assembleia Federal Legislativa, Antônio de Deus Gavioli Júnior – Secretário-Geral de Gabinete,  Wanderley Salgado de Paiva – Presidente Supremo Tribunal Federal Maçônico,  Sérgio Ruas – Presidente do Superior Tribunal Eleitoral,  Antônio Adonel Gomes de Araújo – Procurador Geral do GOB,  Aderaldo Pereira de Oliveira – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Paraíba,    Américo Pereira da Rocha - Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Espírito Santo, Amintas de Araújo Xavier - Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Minas Gerais, Antônio Ernâni Martins - Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Tocantins, Benilo Alegretti - Grão-Mestre do Grande Oriente do Estado de Mato Grosso do Sul, Carlos César Batista Sousa – Grão-Mestre do Grande Oriente do Estado do Amazonas, Dalmo Wilson Louzada – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Paraná, Daury dos Santos Ximenes – Grão-Mestre do Grande Oriente de Pernambuco, Divino Carlos Gouvêa – Grão-Mestre do Grande Oriente Estadual de Roraima, Eviládio Teixeira de Carvalho – Grão-Mestre Adjunto do Grande Oriente Estadual da Bahia, Francisco José de Sousa – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil - Piauí, Jorge Colombo Borges – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Rio Grande do Sul, José Anízio de Araújo – Grão-Mestre do Grande Oriente Estadual do Ceará, José Augusto de Araújo Rodrigues – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Acre, José de Jesus Bíllio Mendes – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil no Maranhão, Júlio Tardin – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Mato Grosso, Juraci Jorge da Silva – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil - Rondônia, Lourival Mariano de Santana – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil - Sergipe, Lucas Francisco Galdeano - Grão-Mestre Adjunto do Grande Oriente do Distrito Federal, Luiz Carlos de Castro Coelho – Grão-Mestre do Grande Oriente do Estado de Goiás, Mário Sérgio Nunes da Costa – Grão-Mestre do Grande Oriente de São Paulo, Raimundo Farias – Grão-Mestre do Grande Oriente do Estado do Pará, Valdim Pereira de Souza – Delegacia do GOB em Amapá, Wagner Sandoval Barbosa – Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil – Santa Catarina, participaram da abertura, a Presidente da Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul Flora Rio Mendes, com cerimonial realizado pelo Chefe de Gabinete do GOB, Antônio Gavioli. Em nome dos Grão-Mestres Estaduais falou o Eminente Marios Sérigos Nunes da Costa (Grande Oriente de São Paulo).

ENCERRADA A CONGREGAÇÃO COM GRANDE ÊXITO

Na tarde de sábado, dia 16 de agosto, sob a presidência do Grão-Mestre Geral Marcos José da Silva e após intensos debates sobre assuntos dos mais importantes, foi encerrada a Suprema Congregação da Federação - 2014, com presenças dos Grão-Mestres Estaduais, Grão-Mestre Geral Adjunto Barbosa Nunes, Presidente da Assembleia Federal, Ademir Cândido e do coordenador do evento, Antônio Gavioli.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Liberdade, Igualdade e Fraternidade


Nós sabemos que a Maçonaria no mundo teve duas vertentes principais: a Inglesa e a Francesa. No Brasil, apesar de estarmos estritamente ligados com a Grande Loja Unida da Inglaterra, e reconhecidos por ela, a nossa origem é francesa, igualmente como todas as Obediências Maçônicas dos paises da América Latina.

É, portanto, muito comum ouvirmos nas Lojas brasileiras a trilogia “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”, o que não é comum nas Lojas dos EUA, ou na Nova Zelândia, por exemplo, locais onde a origem foi inglesa.

Muitos Maçons alegam que essa divisa maçônica., foi usada durante a Revolução Francesa, em 1789, provando que esta última foi articulada e planejada pela Maçonaria.

Nada mais falso! Vejamos o que nos diz o historiador maçônico Alec Mellor, francês, em seu “Dicionário da Francomaçonaria e dos Francomaçons”:

“É inteiramente falso que essa divisa republicana seja de origem maçônica. Louis Blanc e outros autores pretenderam que o seu inventor teria sido Louis Claude de San Martin, o “filosofo desconhecido”. O historiador mais autorizado da vida e do pensamento desse ultimo, Robert Amadou, mostrou que ele não o foi”.

“A senhora B.F.Hyslop examinou uma boa quantidade de diplomas maçônicos emitidos de 1771 a 1799 na Biblioteca Nacional. Encontrou somente dois nos quais as três palavras encontram-se reunidas. Quase todos comportam: “Salvação-Força_Uniao”, ou falam do Templo onde reinam “o Silencio, a União e a Paz” (ver Anais da Ver. Francesa, jan. 1951)”.

“A 1ª Republicana empregou bastante a divisa: “Liberdade, Igualdade ou a Morte”, mas não é preciso dizer que tal programa ideológico jamais foi o da Francomaçonaria. Somente na 2ª Republica apareceu a “divisa tripla””.

“Não foi a Republica que tomou a divisa emprestada da Maçonaria, mas sim esta ultima que a tomou emprestada da Republica”.



O Mestre Castellani nos diz, em seu “Consultório Maçônico”, editora A Trolha:

“A trilogia foi tomada da 2ª Republica Francesa, instalada após a revolução de 1848, e não como muitos pensam, da 1ª Republica, proclamada em 1893, algum tempo depois da Revolução Francesa, já que a divisa era “Liberdade, Igualdade, ou a Morte””.

“Não é verdade, portanto, como costumam afirmar Maçons ufanos, que essa divisa republicana tenha origem maçônica, já que ocorreu foi exatamente o contrario: a divisa maçônica é que tem origem na Republica Francesa”.



Seria muito bom para todos os Maçons do mundo:

·         Se a Liberdade fosse melhor entendida e que se respeitasse os limites do próximo, pois nossa liberdade termina onde começa os direitos de nosso Irmão.

·         Se a Igualdade fosse disseminada com mais intensidade e a diferença entre os Obreiros fosse minimizada e que todos ficassem no mesmo Nivel.

·          Se a Fraternidade, esteio básico para que possa existir a Maçonaria, fosse bem entendida e aplicada.



Alfério Di Giaimo Neto - MI

Via www.redecolmeia.com.br