terça-feira, 24 de junho de 2014

O QUE SÃO OS LOWTONS?



A palavra Lowton não é encontrada em nossos dicionários comuns ou de qualquer língua, mas é usada em alguns dialetos na Escócia.

Supõe-se que seja corruptela de um termo egípcio antigo, significando "lobo" ou "chacal". Alguns povos pronunciam luston ou Lowton; Na França usa-se o termo luveton e na Inglaterra lewis.


Por Lowton são assim chamados os adotados pela Maçonaria, porque "lobo" – ou o "chacal", ambos da mesma família, desde os mais recentes tempos representam a coragem, o destemor, sendo o único animal selvagem que só se defende, raramente, atacando presas só para se alimentar. As más qualidades fogem do lobo, como as trevas se afugentam e cedem à luz do sol. Isso é relembrado e trazido à nós através da antiga lenda romana de Rômulo e Remo quando diz que quando a sua mãe, uma princesa latina, foi assassinada por um tio malvado, os bebês gêmeos, Rômulo e Remo, foram lançados ao Tibre. Salvos por uma loba, que os amamentou e os tratou como se fossem seus filhos, incutiu neles ferocidade e sentido de lealdade.


Voltando ao foco desta matéria, lembremos que o Ir∴ Baden Powel, criador do Escotismo, cognominou Lowtons como uma classe de lobinhos, certamente se inspirando nesses fatos.


A cerimônia de adoção de Lowton é assim chamada uma vez que os Lowtons tornam-se "filhos adotivos da Loja Maçônica", a qual contrai para com eles a obrigação de servir-lhes de tutor e de seu guia na vida social, acompanhando-os em seus passos na coletividade em que convivem.


Devem os pais reconhecerem a grande honra que lhes representa ao terem seus filhos adotados por uma Loja Maçônica. Assim sendo, receberão com o máximo carinho fraternal sua instrução e direcionamento a um modo de vida totalmente responsável, livre e fraternal.


Aos padrinhos cabem reconhecerem a honra de estarem representando a Loja Maçônica e assumindo, em seus nomes, os fraternos compromissos da adoção, até a sua formação e principalmente na falta de seus pais, se ocorrer. Naquele momento os padrinhos assumem as responsabilidades:


Guiar seus afilhados na senda da fraternidade;

Mostrar-lhes a importância da liberdade;

Exaltar a fraternidade para onde foram guiados;

Dedicarem amor e cuidado com as crianças órfãs.


Os padrinhos e a própria Loja Maçônica devem tudo fazer para que essas crianças, esses jovens, transformem-se em verdadeiros homens, cônscios de seus deveres, responsáveis pelas suas liberdades com o sentido de auto vigilância sobre os seus atos acima de tudo, alertá-los para que se tornem sabedores de todas as injunções do ser humano, mas dispostos a ultrapassá-las, É dever dos padrinhos maçons demonstrar, pela prática na vida profana, pelo exemplo de seus atos e pela vivência das virtudes teologais.

Fonte: Rede Colmeia

Nenhum comentário:

Postar um comentário